Arquivo para agosto 2nd, 2010 página

Você Com Dilma 1.1

Você Com Dilma – 1.2

Você Com Dilma – 1.3

Você Com Dilma – 1.4

Você Com Dilma – 1.5

Você Com Dilma – 1.6

"Repente do Cid", por Tião Simpatia

Aprovação mais alta do PT projeta bancada recorde

Partido mais popular do país desde o ano 2000, o PT reconquistou o apoio que havia perdido durante a crise do valerioduto(crise criada pelo PIG para derrubar Lula) e hoje é apontado como a legenda preferida por 25%(no IBOPE é 29%) dos eleitores, patamar mais alto de sua história. O partido, que chegou a ter 24% de preferência em dezembro de 2004, despencou para 15% em fevereiro de 2006, oito meses após a denúncia do mensalão. A recuperação começou depois da reeleição de Lula. Em dezembro de 2009, o PT atingiu 25% de preferência popular, valor que permanece estável desde então (os números são do Datafolha).
A retomada da popularidade em ano eleitoral pode ser vista como indicador de aumento da bancada petista na Câmara dos Deputados. Levantamento feito pela Folha mostra que há 20 anos existe grande correlação entre o índice de preferência do PT e o total de votos que o partido obtém para seus candidatos a deputado federal. Se a correlação se mantiver na disputa deste ano, o PT poderá eleger mais de cem deputados federais. Em 1990, segundo o Datafolha, 9% dos eleitores afirmavam que o PT era seu partido preferido. A legenda teve então 10,2% dos votos e elegeu 7% dos deputados.
Em 1994, com 13% de preferência, teve 12,9% dos votos e 9,6% de deputados; em 1998, 11% de preferência, 11,2% dos votos e 11,3% de deputados; em 2002, 20% de preferência, 18,4% dos votos e 17,7% de deputados; em 2006, 16% de preferência, 14,9% dos votos e 16,2% de deputados federais. A diferença entre a preferência do PT aferida pelo Datafolha e o percentual de votos do partido nunca superou 1,6 ponto percentual. Já a discrepância em relação às bancadas eleitas é maior (3,4 pontos), em razão das coligações partidárias e sobretudo das distorções na distribuição das cadeiras da Câmara entre os Estados. Na década de 90, o PT era mais forte no Sul e no Sudeste. Com 60% do eleitorado, as regiões tinham 49,6% das vagas na Câmara. Daí por que o partido conquistava menos cadeiras que votos. O crescimento nos anos posteriores ocorreu sobretudo no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que têm proporcionalmente mais vagas. Em 2006, a legenda conseguiu mais cadeiras que votos. O PT também chegou aos grotões. Em 1993, estava presente de forma organizada em cerca de 40% das cidades; em 2009, em 96%.
OUTROS PARTIDOS
A preferência partidária não é um indicador necessário de intenção de voto. Se a regra parece valer para o PT, no caso dos outros partidos não é possível encontrar correlação. Em 2006, por exemplo, o PSDB elegeu 12,9% dos deputados, mas tinha 5% de preferência. Já o PP, com 1% de preferência, elegeu 8% dos deputados. O PT hoje é exceção quando o assunto é preferência partidária. Metade dos eleitores declara não ter nenhum partido predileto. As demais siglas têm índices bem menores. O segundo colocado é o PMDB, com 7%, seguido pelo PSDB, com 5%. Folha.com

PT é o partido de maior preferência dos brasileiros, apontam pesquisas

O PT é o partido preferido dos brasileiros, segundo sondagens divulgadas nesta semana por três institutos de pesquisa. De acordo com o Ibope, a legenda conta com a preferência de 29% dos eleitores. O DataFolha indica que 25% da população vota no PT. Segundo o Vox Populi, o partido tem a simpatia de 18% do eleitorado.
O jornal Folha de S.Paulo reconhece que o PT é o “partido mais popular do país desde o ano 2000″. De acordo com a publicação, a preferência pela legenda pode resultar em aumento da bancada petista na Câmara. “Há 20 anos existe grande correlação entre o índice de preferência do PT e o total de votos que o partido obtém para seus candidatos a deputado federal. Se a correlação se mantiver na disputa deste ano, o PT poderá eleger mais de cem deputados federais”, aponta a matéria “Aprovação mais alta do PT projeta bancada recorde”, veiculada nesta segunda-feira.
As legendas de oposição – PSDB e DEM (ex-PFL) – estão bem atrás na preferência do eleitorado. De acordo com números do Ibope, os tucanos contam com 7%, enquanto os demos somam apenas 1%. A mesma tendência é verificada na sondagem do Vox Populi: o PSDB aparece com 4%, enquanto o DEM nem chega a ser mencionado pelos eleitores. O PT lidera nas cinco regiões do País. Segundo o Ibope, o melhor desempenho é no Nordeste, onde a legenda tem a simpatia de 33% da população. Nas regiões Norte, Centro Oeste e Sudeste, o partido aparece com 29%. No Sul, com 18%. De acordo com o Vox Populi, o partido também prevalece no Nordeste, com 21%. No Centro Oeste e no Sudeste, a legenda soma 18%. No Sul e no Norte, o partido tem 16% e 14%, respectivamente. O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR), destaca que o partido tem “uma força eleitoral e política reconhecida pela população”. “As pessoas ligam o governo do presidente Lula ao nosso partido. A oposição nos ataca porque sabe desta força do PT”, afirmou.

Adalberto Monteiro: FHC faz gol contra

Fernando Henrique Cardoso, embora enjeitado pela campanha de Serra, insiste em querer contribuir com o candidato tucano. No 1º dia deste mês de agosto rabiscou o panfleto “Cara ou Coroa”, publicado no jornal O Estado de S. Paulo. Nele, ajuda a desnudar o embuste que Serra espalha de que pegará o bastão das mãos de Lula e o levará adiante.
por *
Tenta convencer o eleitorado de que Serra e Dilma são opções antagônicas. O seu pupilo é a melhor opção porque “traz consigo a marca de origem”. Diz, também, que dois modelos de sociedade estarão em jogo. Estas são as três únicas verdades do texto, o resto é um enredo já duas vezes rejeitado pelo povo. E “gol contra”, como se verá…
Acompanhemos, resumidamente, o arrazoado.
Sensato, FHC não briga com a realidade. Diz que há “uma sensação de dinheiro no bolso” fato que leva o eleitor a querer ficar mais “com o conhecido do que mudar para o incerto”. Do alto de sua sapiência, indaga: “Mas o que realmente se conhece?”. E responde. “Que nos últimos 20 anos melhorou a vida das pessoas no Brasil, com a abertura da economia, com a estabilidade da moeda trazida pelo Plano Real, com o fim dos monopólios das estatais e com as políticas de distribuição de renda simbolizadas pelas bolsas. Foi nessa moldura que Lula pregou sua imagem…”
Lula, a quem FCH chama de “arengador de méritos”, teria se apossado da sua obra. Vá lá, quando muito, deu uma “melhorada”. Entre o certo e o duvidoso, o eleitor deve escolher Serra, pois “traz consigo a marca de origem”. Já Dilma, a herdeira de Lula, é o duvidoso, pois ao contrário de Lula poderá se afastar da “matriz originária”.
Primeiro.
A linha que descreve o período de 1990 a 2010 não é um traçado contínuo. Os anos 1990 foram os piores desde o fim da ditadura. Na década de 1980, também, houve estagnação econômica, mas o legado democrático foi rico. Os dois governos de FHC – da coligação PSDB-PFL, hoje, DEM –, têm como legado a paralisia da produção, a desnacionalização da economia, a privatização do patrimônio público. E mais: desemprego, arrocho salarial, corte de direitos sociais. Na esfera política, a democracia conquistada com muita luta, foi restringida. Os movimentos sociais voltaram a ser tratados como “caso de polícia”, tal e qual na República Velha. (De igual forma no governo Serra). A liberdade de imprensa foi sufocada pela “ditadura do pensamento único”, isto é, pelo, então, infalível neoliberalismo. A política externada subserviente nos amarrou à Alca, projeto neocolonial dos EUA. No final de 2002, o país estava quebrado, confiança internacional a zero, de pires na mão, implorando empréstimos ao FMI.
Portanto, a vida do povo melhorou não nos “últimos 20 anos”, como quer – aí sim, a arenga de FHC. A melhora começa em 2003. O governo Lula, levantou o país do chão. Livrou-nos da herança maldita. Nasce um novo ciclo de desenvolvimento no qual se associa crescimento econômico a distribuição de renda. Eis a gênese “da sensação de dinheiro no bolso”. Lula não se apossou da obra de FHC, nos livrou no que pôde e no que quis dela. Se, portanto, há algum usurpador nesta história, e há; se algum mentiroso, e há, não é Lula. É FHC.
Segundo.
Voltemos às três únicas verdades do panfleto. Ao contrário do quadro que pintam os brasilianistas, de fato, como advoga o autor, as candidaturas são discrepantes. Serra – faça teatro ou não – é a genuína expressão da década perdida do neoliberalismo. Por isto, foi ungido. Tem a marca registrada, como diz FHC. Mas, na arte da dissimulação, o aluno superou o mestre. Em recente declaração pública, o ex-governador de São Paulo proclamou: “Não sou candidato da oposição. Sou um candidato do pode mais e do dá para fazer”.
Vamos à terceira e derradeira verdade.
“Não nos iludamos, o voto decidirá entre dois modelos de sociedade”.
Um modelo vigorou nos anos 1990, quando FHC foi presidente e Serra seu fiel ministro. Na política, autoritarismo que derivou em divisão da sociedade e asfixia da liberdade. Na economia, crescimento nanico e concentração de renda que geraram decadência nacional, desemprego e miséria. Na política externa, alinhamento subserviente aos Estados Unidos da América e à Europa. Os ataques de Serra ao Mercosul, a difamação sistemática que faz contra o MST e ao movimento sindical, o combate que empreende ao papel do Estado como impulsionador do desenvolvimento demonstram, verdadeiramente, que ele “ traz consigo a marca de origem”.
FHC faz gol contra. Ajuda a desnudar o embuste que Serra espalha de que pegará o bastão das mãos de Lula e o levará adiante. (“A gente tem de pegar o bastão de onde está e dá para melhorar…”). Não é o “continuador”. Se eleito, seria demolidor do legado de Lula, retomando o receituário neoliberal – claro, recauchutado, claro, renovado –, mas no cerne neoliberal.
O outro modelo de sociedade começou a florescer em 20003. É o legado dos dois governos de Lula. A democracia se expande e rege a vida política e social. O Brasil, hoje, é um país respeitado no mundo. Sua política externa afirmativa fortaleceu a soberania nacional e diversificou as relações comerciais e políticas da Nação. A integração solidária da América do Sul é parte de nosso projeto nacional e benéfica aos nossos vizinhos. Não se concebe crescimento econômico sem distribuição de renda. Resultado: mais empregos, melhores salários. Grande mobilidade social. Fortes programas sociais para retirar milhões de brasileiros que viviam e ainda vivem na miséria. Aumento da produção. Valorização do trabalho, aumento real do salário-mínimo, emprego com carteira assinada.
Dilma Rousseff, pela sua história de vida, pela competência demonstrada enquanto figura central do governo Lula, tem plenas condições para levar a obra de Lula a um patamar ainda mais promissor. Portanto, é útil o conselho do ex-presidente: “melhor que cada um trate de aprofundar as razões e consequências de seu voto…”.
*Adalberto Monteiro é presidente da Fundação Maurício Grabois e editor da revista Princípios

A questão da segurança em São Paulo

Na Rede Brasil Atual uma série de reportagens sobre a questão da segurança pública em São Paulo. A RBA ouviu especialistas sobre o tema que garantem: o conflito campal entre as polícias é marca da política de segurança de Serra. Em outra, aponta estudo de que os policiais em SP têm a pior remuneração do país.
Serra esteve no bairro da Liberdade em São Paulo e driblou as questões sobre os ataques ocorridos no último final de semana no estado. Dois crimes foram atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Serra afirmou não ter elementos para falar a respeito, e que o atual governador, Alberto Goldman, já havia se pronunciado. Para especialistas, o conflito entre policiais civis e militares de São Paulo representa uma piora sensível da política de segurança pública do governo estadual. A condução convencional deu lugar a novos entraves. Em 16 de outubro de 2008, policiais civis, em greve havia 31 dias, realizavam um protesto em direção ao Palácio dos Bandeirantes, residência oficial do então governador paulista, José Serra, hoje candidato à Presidência da República pelo PSDB.

Dilma diz que olimpíadas no Brasil traz desenvolvimento e massifica o esporte para jovens

Dilma Rousseff (PT), visitou o COB (Comitê Olímpico Brasileiro), no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira, onde foi recebida presidentes de confederações e atletas (na foto, com o medalhista veterano Joaquim Cruz). Dilma disse que o Brasil tem que aproveitar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, para ajudar o país a tornar-se socialmente desenvolvido. Para a ex-ministra, é importante que o Brasil conquiste muitas medalhas nas Olimpíadas de 2016, para atrair crianças e jovens para o esporte.
Ela espera que, até 2016, o Brasil consiga acabar com a pobreza extrema e a miséria.
Dilma defendeu a massificação do esporte nas escolas, para que as crianças com aptidão se tornem atletas no futuro. A candidata disse que, se eleita, pretende expandir os programas do Ministério dos Esportes, como o Segundo Tempo, que prevê atividades esportivas na escola, e aprimorar o Bolsa Atleta, com o aumento do valor pago pelo governo, e patrocínios aos atletas.

Em Goiás, Dilma chega junto de Serra em pesquisa pela 1ª vez

Mirelle Irene – Direto de Goiânia
A candidata à presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, conseguiu tirar a vantagem do candidato tucano José Serra em Goiás, segundo pesquisa do Instituto Serpes, publicada nesta segunda-feira (2) no jornal O Popular. Aplicada em 53 municípios do Estado, a pesquisa mostra que Dilma atingiu 38% das intenções de voto, enquanto Serra tem 39,5%, números que apontam um empate técnico entre os dois candidatos. A margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos percentuais, maior, portanto, do que a diferença entre os percentuais dos candidatos. É a primeira vez que Serra perde pontos em pesquisas no Estado. No levantamento anterior, publicado no dia 12 de julho, a vantagem de Serra sobre Dilma era de 9,8 pontos. O tucano tinha 44% das intenções de votos entre os eleitores goianos, contra 34,2% da petista.
A candidata do PV Marina Silva alcançou 7,7% na pesquisa, mantendo praticamente o mesmo índice da rodada anterior, quando assinalou 7,6%. No levantamento espontâneo (quando os pesquisadores não apresentam os nomes dos candidatos aos eleitores pesquisados), Dilma aparece na frente de Serra, com 26,6%, contra 19,2% de Serra. Na pesquisa de 12 de julho, Serra e Dilma estavam tecnicamente empatados, com vantagem numérica para Serra. A petista tinha 22% e o tucano 23,8%. Segundo o Serpes, José Serra tem rejeição maior que Dilma em Goiás. Ele tem 18,2% e a petista 13,9% de índice de rejeição (quando o eleitor declara que não votará em um dos candidatos), uma diferença de 4,3 pontos. A pesquisa, feita entre os dias 24 e 29 de julho, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 32740/2010 , e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 20651/2010, no dia 23 de julho.

Serra faz campanha em SP, porque Dilma já ameaça sua vantagem no estado

Serra faz campanha em SP, porque Dilma já ameaça sua vantagem no estado
José Serra (PSDB) está fazendo campanha hoje na capital paulista, apesar de ser o estado onde ele acaba de ser governador, e onde ele não tem jeito de ser mais conhecido do que já é. A razaõ é que os números da pesquisa Ibope/Globo, restrita ao estado de São Paulo (Protocolo no TSE 20791/2010), são assustadores para José Serra (PSDB/SP):
Empate na espontânea:
Serra: 27% – Dilma: 25% – Lula: 2%
Só 44% aprovaram o governo Serra em São Paulo, a ponto de querer votar nele:
Serra: 44% – Dilma: 33%
(a diferença já caiu para apenas 11 pontos)
Voto masculino em SP, só dá 6 pontos de diferença:
Serra: 43% – Dilma: 37%
Avaliação do governo Lula em SP:
Ótimo e Bom: 72% – Ruim e péssimo: 8%

DIRETO DE CUIABÁ, MATO GROSSO!

Carlos Abicalil: “Só em Mato Grosso 270 mil brasileiros deixaram a linha da pobreza”
Em entrevista à CNB, Carlos Abicalil fala sobre projetos, metas para um futuro mandato ao Senado pelo Mato Grosso, e conquistas do estado durante governo Lula.

1) Segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), seu nome está entre os parlamentares em ascensão no Congresso Nacional. A que se deve esse desempenho?
É a terceira vez que recebo essa avaliação. Honra-me muito estar nesta condição em plena campanha de 2010. O mesmo Diap, recentemente, avaliou também nossa perspectiva de chegada ao Senado. O fato de ter presidido a Comissão de Educação no primeiro mandato, ter relatado matérias importantes, aprovar oito Emendas a Constituição, coordenar nossa bancada por três vezes consecutivas, ser vice-líder do PT e agora vice-líder de Lula no Congresso Nacional fortalecem os vínculos com movimentos sociais e populares e com as demandas mais legitimas de nosso povo. Aumenta o ânimo na campanha, pois representa um ponto de partida com um balanço muito afirmativo destes sete anos e meio.
2) Na sua avaliação, quais são as principais questões envolvendo o Mato Grosso no Senado e como o sr. pretende trabalhá-lhas?
O Senado representa a federação. Temos igualdade de representação com qualquer outro Estado ou Distrito Federal, independente de sua densidade demográfica ou peso econômico. Mato Grosso tem papel destacado e ascendente no cenário econômico, tem melhorado progressivamente seus indicadores sociais, tem imensas potencialidades ainda inexploradas, vai sediar a Copa 2014. Demanda muitos investimentos em infraestrutura e logística – notadamente ferroviária, rodoviária e de energia, em equipamentos e políticas sociais universais, como saúde, segurança e educação. Uma nova pactuação federativa na ordem tributaria também é fundamental, assim como um melhor equacionamento da dívida pública. Mais recursos de investimento, melhor condição de acesso ao crédito produtivo, zelo com nossa enorme área de fronteira, proteção a infância e formação integral da juventude constituirão nossas pautas. O trabalho decente, o emprego qualificado e a consolidação da reforma agrária continuam prioridades também.
3) As riquezas do pré-sal poderão fazer com que a educação pública brasileira dê um grande salto de qualidade. Qual a importância desse avanço para o futuro do Brasil? Quais são as maiores carências da Educação hoje?
Os recursos do Pré-sal, o fim da Desvinculação de Recursos da União (DRU), as metas do novo Plano Nacional de Educação (PNE) são perspectivas únicas muito animadoras, que encontrarão no meu mandato o destaque que a sociedade exige. Educação é investimento. Os desafios não são para nos assustar, são para nos incomodar e avançar ainda mais.

Sobre as carências digo que a educação pública vem melhorando progressivamente nos últimos anos. Os resultados do IDEB refletem uma melhoria progressiva de baixo para cima. Ainda estamos longe do patamar equivalente aos países da OCDE (nota 6.0) no desempenho dos estudantes. Mas, não se pode esquecer que saímos de 3,6 para 4,6 nos anos iniciais, de 3,6 para 4,1 nos outros anos. Reflexo de uma evolução positiva das políticas educacionais que defendi: o FUNDEB, a nova relação federativa, o reforço dos recursos dobrados para o livro didático, o transporte e a alimentação escolar, a inclusão dos jovens e adultos como responsabilidade compartilhada pelo Governo Federal, além dos programas de formação continuada e de qualificação profissional para professores e funcionários.
O Piso Profissional e a organização das carreiras estão em curso. O problema que vivemos no ensino médio, por outro lado, é um fenômeno nacional. São jovens e adolescentes que iniciaram sua trajetória escolar há 11 anos ou mais e que sofreram os revezes das políticas redutoras do período do neoliberalismo protagonizado pelos governos do passado. Todos os indicadores do ensino fundamental de hoje apontam uma significativa melhora de expectativas para quem entra agora no sistema.
Por outro lado, a crise no ensino médio é mundial, também. Entretanto, a retomada da educação técnica de nível médio, a implantação do Ensino Médio Integrado, a expansão das escolas federais, o fortalecimento da rede de CEPROTECs, o novo ENEM, a expansão das Universidades Públicas (UNEMAT e UFMT) e o PROUNI mais do que duplicaram o acesso dos estudantes ao ensino superior. É necessário, portanto, seguir mudando.

Tenho confiança de que os programas complementares federais Mais Educação (tempo integral), 2° Tempo, Mais Cultura e Escola Aberta favorecerão este cenário de boas expectativas. O desafio do PAC II de incluir as 6000 novas creches, quadras poliesportivas cobertas, banda larga nas escolas, laboratórios e bibliotecas, aliadas à valorização profissional cumprirão os objetivos a que pretendemos chegar.
4) Uma das principais características do governo Lula foi o combate às desigualdades regionais. Que benefícios essa política levou à região Centro-Oeste?
Ao lado do Nordeste, foi a região brasileira com o maior crescimento econômico, melhorando significativamente os índices sociais. Só em Mato Grosso 270 mil brasileiros e brasileiras deixaram a linha da pobreza. Fomos recordistas de crescimento do emprego formal em muitos períodos destes sete anos e meio. Hoje, crescemos quase o dobro da média nacional.
5) Quais as perspectivas para o Mato Grosso em caso de uma vitória de Dilma nas eleições presidenciais?
Dilma atuou diretamente em importantes programas estruturais de Mato Grosso: em energia, em habitação popular, no PAC I e, agora, na concepção do PAC II. Temas importantes que travavam o desenvolvimento econômico e social foram encontrando solução sob sua coordenação direta. O Programa Luz para Todos, por exemplo, interligou 100 mil famílias à rede de energia. Chegamos a 120 mil ligações no final de 2010. A conclusão da Cuiabá-Santarém (BR 163), incluída no PAC supera 16 anos de estagnação. O avanço da BR 158 de Ribeirão Cascalheira à divisa com o Pará é outro exemplo. A Copa 2014 e seus impactos sobre a qualidade de vida na Baixada Cuiabana é produto desta mesma articulação.
Mato Grosso desenvolvei em parceria com o Governo Federal o maior programa habitacional da história. Mais de 60 mil unidades já concluídas e mais 20 mil em contratação do “Minha Casa, Minha Vida”.
Esta eleição será ganha pelo testemunho dos milhões de brasileiros e brasileiras que viram sua vida melhorar.

Tudo favorece Dilma

Arko Advice, empresa de consultoria política

Fechando o mês de julho, nossa avaliação é de que Dilma Rousseff (PT) consolida seu favoritismo, ainda que José Serra (PSDB) mantenha-se competitivo e com chances de surpreender. O favoritismo de Dilma baseia-se em três premissas.
A primeira é a de que a mídia eletrônica – que pode arbitrar as eleições – tende a não entrar na campanha. Ou seja, não deve apoiar abertamente nenhum candidato, o que ajuda a candidata governista. Caso a mídia eletrônica adotasse o mesmo comportamento da grande mídia impressa, Dilma poderia enfrentar problemas junto ao eleitorado. Como os vieses anti e pró-governo tendem a ficar limitados aos arraiais da mídia impressa e da internet, que ainda não é lá grande coisa em termos de formação de tendências políticas, o efeito sobre a campanha é pequeno. No entanto, quando se trata de mídia de massa, o noticiário é desodorizado, pasteurizado e raso. Tende a mostrar as eleições como um matter of life, tal qual outros eventos do dia a dia. Talvez, adiante, o noticiário esquente um pouco, mas aí a propaganda eleitoral já estará no ar para favorecer os líderes.
A segunda premissa é a de que quem lidera a campanha no início da corrida tende a ganhar as eleições. Tem sido assim desde 1994. Dilma lidera, de acordo com o Vox Populi e o Ibope. No Ibope divulgado no dia 30 passado, Dilma lidera com cinco pontos de vantagem em relação a Serra (39% X 34%). A terceira premissa é a de que Dilma cresceu onde Serra era favorito e seus candidatos ao governo lideram nos principais colégios eleitorais do país. No Sudeste, onde estão os três colégios eleitorais mais importantes, Serra só ganha em São Paulo, com Geraldo Alckmin (PSDB). Em Minas Gerais, aparentemente sem grande empenho de Aécio Neves (PSDB), Serra já perdeu a dianteira para Dilma. Suspeita-se que o acordo “Dilmasia” esteja funcionando e tirando votos de Serra. Na disputa estadual, Hélio Costa (PMDB) também libera, com 18 pontos.
No Rio, Sérgio Cabral (PMDB) lidera e pode ganhar no primeiro turno. Considerando os principais colégios eleitorais do país, candidatos que apoiam Dilma estão liderando em Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul. Serra leva vantagem, como frisamos, em São Paulo.
Considerando as três premissas apontadas, Dilma encerra o primeiro mês de campanha oficial com uma vantagem importante (5%), ainda que não confortável. E, com o início da campanha na televisão – na qual Dilma terá quase 40% a mais de tempo -, sua vantagem tenderá a se consolidar por conta de outras circunstâncias: aprovação do governo, popularidade de Lula, melhor desempenho nos palanques estaduais etc. No início de agosto, os prognósticos de que Dilma tende a liderar a disputa no primeiro turno são os mais prováveis. No entanto, o prognóstico para a sua vitória definitiva em primeiro turno ainda não se configura como tendência predominante. Dependerá de seu desempenho na propaganda eleitoral e do tom emocional da despedida de Lula.

Boato que circula na Internet informa que o homem da bengala morreu

Essa mensagem vem sendo replicada nos espaços reservados a comentários de leitores em blogs assinados por colunistas da área de política, em sites sobre jornalismo e em bate-papos no Orkut.
Em 2006, após a encenação no palco da CPI do fim-do-mundo, ficamos sabendo que o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) contratou o escritor e ex-ator Yves Hublet, 67, para dar bengaladas no ex-deputado José Dirceu (PT-SP) no corredor do Congresso, no dia 29 de novembro, véspera da cassação.
A encenação foi articulada pelo funcionário público aposentado Paulo Abbas, amigo e cabo eleitoral do senador, que mora em Curitiba. A repórter da Folha em Curitiba foi avisada com antecipação da agressão e que alertou aos repórteres que cobrem o Congresso, para dar um “flagra” no ato. Agora surge mais um BOATO sobre a morte do personagem. Essa mensagem vem sendo replicada nos espaços reservados a comentários de leitores em blogs assinados por colunistas da área de política, em sites sobre jornalismo e em bate-papos no Orkut.
Não há, porém, nenhuma referência sobre a morte do personagem e tão pouco sobre sua irreal condição financeira já que Hublet “trabalha sempre como Papai-Noel” no Natal em shoppings de Curitiba.
O senador Alvaro Dias sempre negou a história.
“Não tive essa feliz idéia”, ironizou Alvaro Dias, em resposta à pergunta sobre se mandou pagar a passagem do agressor de Dirceu. O senador disse que nas reproduções das imagens do dia seguinte, Hublet lhe pareceu “uma figura conhecida”, mas que não teve contato com ele. Disse também que não se incomoda com o que diz a mensagem da internet. “Se ele me pedisse uma passagem, atenderia. Não para ir dar bengaladas no José Dirceu, mas por ser um escritor.
“A morte do escritor curitibano que atacou Zé Dirceu a bengaladas
O curitibano Yves Hublet ganhou destaque no Brasil no dia 29 de 2005 ao atacar a bengaladas o então deputado José Dirceu, que estava sendo processado por envolvimento no “mensalão”. Ele era escritor e morreu na segunda-feira (26) na capital federal em circunstâncias estranhas, segundo relato de seu editor e amigo Airo Zamoner, da editora Protexto. Hublet completou 72 anos em abril passado. Segundo o editor, depois do episódio da bengalada, o escritor enfrentou vários problemas no país e mudou-se para a Bélgica, pois tinha dupla cidadania. ”Voltou em maio último para Curitiba a fim de tratar de um livro a ser publicado por minha Editora e para tratar de papéis de um casamento anterior, pois pretendia se casar novamente na Europa”, revela Zamoner. Segundo este, para retornar à Bélgica Yves Hublet foi até Brasília. ”Ao descer do avião foi preso em Brasília e ficou incomunicável”, segundo o editor. No presídio teria adoecido e foi hospitalizado, sob escolta. “Alegou-se que estava com câncer. Ele teria falado com uma assistente social e passou o telefone de uma ex-namorada de Curitiba de nome Solange. Foi ela quem recebeu telefonema de Brasília comunicando o falecimento do Yves. O corpo dele foi cremado por lá”, informa o editor Zamoner. Yves Hublet escreveu livros infantis como “A Grande Guerra de Dona Baleia” e “Artes & Manhas do Mico-leão-dourado”, além de histórias em quadrinhos para a Editora Abril.

Bicicleta e o transporte do futuro

*por FERNANDO RIZZOLO
Blog do Rizzolo -
O cheiro de tinta era forte; minhas mãos de menino apertavam o breque no guidão prateado da minha bicicleta nova. A sensação era de alegria incontida; a bicicleta era verde e vinha com uma bombinha para o caso de o pneu precisar ser enchido. Hoje, relembrando o dia em que ganhei aquele presente, a felicidade que senti me remete ao “sim” da minha primeira namorada, quando “a pedi em namoro”. Primeira bicicleta, primeira namorada… quanta emoção!
Mas por que aqui, parado no trânsito de São Paulo, num dia chuvoso, me lembrei da minha primeira bicicleta? Talvez por dois motivos: primeiro, lembrar um sonho de menino; segundo, saber que no futuro a bicicleta será o meio de locomoção mais comum. Em 2005, mais de 150 milhões de bicicletas foram vendidas no mundo, contra cerca de 60 milhões de carros. A venda de bicicletas tem aumentado porque estes veículos oferecem mobilidade fácil a milhares de pessoas, melhoram a saúde, aliviam os congestionamentos e não poluem o ar. Além disso, uma bicicleta custa 200 vezes menos que um carro e reduz a área que é preciso pavimentar. Em movimento, 6 bicicletas ocupam o espaço de 1 carro. Num estacionamento para carros cabem 20 bicicletas.
O maior desafio dos grandes centros urbanos como São Paulo é a falta de espaço nas ruas. Os dois principais corredores exclusivos para bicicletas na cidade estão hoje em terrenos do metrô – a ciclovia da marginal do Pinheiros, ou da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), e a ciclovia Caminho Verde, na Radial Leste. Em todo o município são apenas 35,5 quilômetros de ciclovias. Na região de maior trânsito da cidade, no limite das marginais, com raras exceções, não há lugares seguros para os ciclistas circularem.
Apesar de tudo, o número de deslocamentos diários de bicicletas* tem aumentando significativamente em São Paulo. Em 1997, equivalia a apenas 54% (54 mil viagens diárias) do número de viagens diárias de táxis (91 mil). Nos dez anos seguintes, houve um salto. Em 2007, já passava a ser 87% (148 mil), superior aos deslocamentos de táxis (79 mil).
Temos de implementar políticas de viabilidade a novos meios de transporte, como a bicicleta. Em países desenvolvidos como a Suécia, cerca de 10% das viagens são feitas de bicicleta e quase 40% a pé. Só em aproximadamente ⅓ dos percursos utiliza-se o automóvel, sem contar, é claro, com o viés de uma vida mais saudável, combatendo não só o trânsito, mas também o sedentarismo.
Trânsito, congestionamento, grandes centros e muita espera nas ruas durante a lenta caminhada dos automóveis nos fazem pensar nas soluções mais simples da vida, nos remete à saudade da antiga bicicleta, da primeira e descomplicada namorada e a tantas outras coisas. A imagem da antiga bicicleta verde, em função de tudo que é verde, acabará sendo a futura forma de se deslocar, talvez com mais poesia, diariamente, com o vento no rosto, nos unindo então aos sonhos do passado, à vontade de andar de bicicleta pelas ruas da cidade.
Fernando Rizzolo é Advogado e editor do Blog do Rizzolo –

Berzoini acusa Folha de estar em campanha para Serra

O deputado federal e ex-presidente nacional do PT, Ricardo Berzoini, acusa a Folha de S.Paulo de estar em campanha por José Serra (PSDB), candidato na corrida ao Palácio do Planalto. A crítica é a resposta do parlamentar a reportagem publicada no jornal paulista no domingo (1º), que traz informações sobre um dossiê apócrifo e com informações falsas sobre o ministro da Fazenda Guido Mantega. Leia na .

Quem ama o povo por ele vive – Dilma e Crivella a unidade em prol do povo!

“Solidariedade é lutar junto” Marcelo Crivella
A reeleição de Crivella e a eleição de Dilma para presidente será marcante para o nosso povo. Dilma e Crivella conhecem de perto a necessidade do povo.

Os dois já caminharam e caminham por estradas diversas e sabem que a dignidade e o direito de viver de forma humana começa na qualidade de vida que o governo precisa proporcionar ao seu povo e só um governo verdadeiramente comprometido com seu povo pode proporcionar.
O Projeto Cimento Social está pronto para ser aplicado em todos os estados e Dilma o conhece de perto e o admira.
No Rio de Janeiro o Projeto Cimento Social é executado de forma voluntária e com recursos próprios obtidos através de direitos autorais das obras, Cds/DVDs e Livros, do Senador Marcelo Crivella.
Assista o vídeo e conheçam o que muitos tentam “esconder” e negar a atuação parlamentar de um homem que tem cheiro do povo e este homem sensível as necessidades deste povo é o Senador Marcelo Crivella.

from on .

Orientação: O que fazer se encontrar o diploma de Serra

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA – REGULAMENTAÇÃO PROFISSIONAL

Se encontrar o diploma de Serra envie para o CORECON-SP

Para o Conselho dos Economistas parar de “exigir o diploma” de Serra
Com o advento da Lei N.º 1411/51, regulamentada pelo Decreto N.º 31794/52, foi instituída a profissão do economista, a qual passou a integrar o quadro de profissões liberais regulamentadas, nascendo nesse ato, a obrigatoriedade do registro das pessoas físicas e jurídicas no CORECON-SP, que exerçam sob qualquer forma atividades técnicas de economia e finanças.
Como ocorre nas demais profissões regulamentadas, o CORECON-SP é uma autarquia federal de fiscalização profissional de direito público e detentora do poder de policia, com atribuição principal de fiscalizar a profissão do economista.
Dessa forma, visando proteger os interesses da sociedade, o legislador ao estabelecer normas para o exercício da profissão do economista, dispôs o seguinte:
Lei N.º 1.411, de 13 de agosto de 1951

Dispõe sobre a Profissão de Economista.

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º – Designação Profissional de Economista, a que se refere o quadro das profissões liberais, anexo ao Decreto-lei n.º 5.452, de 1º de maio de 1943 (Consolidação das Leis do Trabalho), é privativa:
a) dos bacharéis em Ciências Econômicas, diplomados no Brasil, de conformidade com as Leis em vigor;
Art. 3º – Para o provimento e exercício de cargos técnicos de economia e finanças, na administração pública, autárquica, paraestatal, de economia mista, inclusive bancos de que forem acionistas os Governos Federal e Estadual, nas empresas sob intervenção governamental ou nas concessionárias de serviço público, é obrigatória a apresentação do diploma de bacharel em Ciências Econômicas, ou título de habilitação
Art. 14 – Só poderão exercer a profissão de economista os profissionais devidamente registrados nos CORECONs pelos quais será expedida a carteira profissional.
Parágrafo Único – Serão também registrados no mesmo órgão as empresas, entidades e escritórios que explorem, sob qualquer forma, atividades técnicas de Economia e Finanças.

E envie uma cópia para o COFECON

Para o CORECON/PB parar de chamar Serra de “Charlatão”O Conselho Regional de Economia da Paraíba (Corecon/PB) solicitou ao Conselho Federal de Economia (Cofecon), que congrega todos os Corecons do Brasil, o ingresso de uma interpelação judicial pedindo o enquadramento do pré-candidato à presidência, José Serra (PSDB), no Artigo 47 do Decreto Lei 3.688/41 por uso indevido da qualificação de economista.
O pedido, endossado pelos conselhos regionais do Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Piauí, Alagoas, Maranhão, Rondônia e Tocantins, além de dois membros do próprio Cofecon, tem por base o fato de Serra não possuir bacharelado em economia nem ser registrado em um conselho regional, mas se apresentar publicamente como economista e engenheiro.
“O procedimento do candidato caracteriza falsidade ideológica e charlatanismo, em prejuízo dos que exercem legalmente a profissão”, destacou o jornalista e membro do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, Sitônio, em artigo publicado no jornal A União, de João Pessoa, abrigado na página do governo paraibano na internet.Orientação do : Caso você encontre o diploma de Economista de Serra

BLOG DA DILMA E O I ENCONTRO NACIONAL DE BLOGUEIROS PROGRESSISTAS

Tem muita gente, principalmente políticos, que desconhece a grandeza e o poder de influência e participação do Blog da Dilma nessas eleições. Estamos desde 2008 construindo fundamentos para enaltecer a imagem da companheira Dilma Vana Rousseff, o primeiro site do Brasil a falar da possibilidade dela se tornar a primeira presidenta do país. Consegui organizar em um só portal, uma das melhores equipes de profissionais da blogosfera nacional, tornando o Blog da Dilma o maior e melhor portal da Dilma Rousseff na internet, já chegando a quase 7 milhões de visitas. Ganhamos o prêmio TOP BLOG 2009 – o melhor blog político do Brasil e ficamos em segundo lugar na Bienal do Livro de 2009. O Blog da Dilma foi matéria em mais de 560 jornais, revistas, emissoras de televisão e rádios. Até o jornal argentino LA NACION fez uma bela reportagem sobre nosso trabalho. Hoje, o Blog da Dilma é o portal mais visitado no Brasil. São mais de 60 sites da Argentina, Uruguai e Paraguai que são linkados com o endereço do Blog da Dilma.
Muita gente não sabe, que, o Blog da Dilma tem um cadastro de mais de 50 mil pessoas do Brasil, dos Estados Unidos e da Europa que estão recebendo adesivos e materiais do Blog da Dilma, lugares que não existe nenhum Diretório do PT ou do PCdoB, e como convencer esse eleitor a votar na Dilma Rousseff? Mas, o Blog da Dilma chega lá, enviando pelos Correios os adesivos AGORA É DILMA. O Blog da Dilma tem credibilidade e faz política a sério. Para que tudo isso funcione com muita organização, estamos de público solicitando sua ajuda financeira para manter o Blog da Dilma no ar e exercendo seu papel político nessas eleições.
Até agora não conseguimos juntar os R$ 3.500,00 para comprar as passagens e estadia para o I ENCONTRO NACIONAL DE BLOGUEIROS PROGRESSISTAS, que será em São Paulo nos dias 21 e 22 de agosto. Grande parte do dinheiro que entra é para pagar as gráficas e outros compromissos importantes do Blog da Dilma. Gostaria da sua generosidade de colaborar financeiramente. Não temos ajuda de empresários. Só temos ajuda dos internautas que depositam na conta bancário do Blog da Dilma e alguns amigos meus para manter o portal no ar. Atenciosamente, Daniel Bezerra – criador e editor geral do Blog da Dilma. (Fone:85-81629695-ligue)

Banco do Brasil – 001 – Agência – 0675-0 – Conta – 40547-7, em nome de Lucas Silva de Oiveira, coordenador financeiro do Blog da Dilma.

ENCONTRO DOS BLOGUEIROS PROGRESSISTAS DEVERÁ SER UM IMPORTANTE EVENTO POLÍTICO SOBRE COMUNICAÇÃO

O 1° Encontro de Blogueiros Progressistas pode ser o evento mais importante de comunicação no segundo semestre de 2010 e às vésperas da eleição presidencial. É um evento que pode, assim como a Conferência Nacional de Comunicação, se tornar uma referência dos novos rumos da comunicação no Brasil nesta primeira década do século 21. Isso porque o 1° Encontro dos Blogueiros Progressistas estará materializando politicamente uma transformação social que acontece atualmente na tecnologia da informação e das comunicações.
Há uma sintonia entre as transformações que passam o Brasil com o governo Lula e as transformações da comunicação, que devem ser cada vez mais acentuadas e democratizadas. Veja abaixo a chamada para a inscrição no evento:
Abertas as inscrições do 1º Encontro de Blogueiros Progressistas

por Conceição Lemes*
O 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas acontecerá nos dias 21 (sábado) e 22 (domingo) de agosto em São Paulo, capital. O objetivo é contribuir para a democratização dos meios de comunicação e fortalecer as mídias alternativas. As inscrições já estão abertas. Poderão se inscrever não apenas blogueiros, mas todos os interessados nas novas mídias sociais.
Nós nos esforçamos ao máximo — mesmo! — para viabilizá-lo em Brasília, mas o elevado custo de auditórios, acomodações e refeições e o prazo exíguo nos forçaram a rever o local. Ou fazíamos em São Paulo ou Encontro não sairia antes das eleições. Optamos pela sua realização, pois é fundamental para este momento que a blogosfera vive. Tentaremos fazer o segundo em Brasília. O importante, pessoal, é acontecer o 1º Encontro.
A programação está sendo montada. Por enquanto, temos apenas as linhas gerais. Na próxima semana, ela será concluída e divulgada.
O encontro começará no sábado às 9h com debate sobre o papel da blogosfera na democratização dos meios de comunicação. Participarão Luiz Carlos Azenha, Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Eduardo Guimarães, Rodrigo Vianna e Leandro Fortes.
À tarde ocorrerão sessões com palestrantes para se discutir as questões legais: orientação jurídica para atuar na web, medidas contra ameaças, cerceamento à liberdade de expressão. Também ocorrerão oficinas sobre twitter, videoweb, rastreamento de trolls e debates sobre a sustentabilidade financeira dos blogs.
No domingo das 9h à 12 h, em reuniões em grupo, blogueiros dos vários estados trocarão experiências e discutirão os desafios da blogosfera. À tarde, plenária para apresentação, discussão e aprovação da Carta do 1º Encontro Nacional dos Blogueiros.
INSCRIÇÕES, PASSAGENS, ACOMODAÇÃO E REFEIÇÕES

As inscrições custam 100 reais. Quanto mais rápidas, melhor para a organização do evento. Basta enviar e-mail para ou telefonar para (011)3054-1829. Falar com a Daniele Penha.
Para se inscrever, serão necessários os seguintes dados
* Nome/nicknane
* E-mail
* Endereço do blog
*Twitter ou outra rede social, caso participe. Preencha com a URL completa
* Telefone
* Cidade/Estado
A comissão organizadora está buscando patrocínios para garantir a gratuidade da hospedagem. Está em contato com uma empresa aérea para garantir desconto nas tarifas. Dependendo dos recursos levantados, o Encontro também arcará com as despesas de refeições e parte das passagens para os blogueiros de outros estados.
Daremos total transparência à origem dos recursos e à prestação de contas. Os blogueiros poderão acompanhá-la online. (Do

Show de Nassif abre encontro de blogueiros

: Reproduzo matéria de Conceição Lemes, publicada no blog Viomundo:
É definitivo. O 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas será em São Paulo nos dias 21 (sábado) e 22 (domingo) de agosto no Sindicato dos Engenheiros, à rua Genebra, 25, ao lado da Câmara Municipal da capital.
Na sexta à noite (20), Luis Nassif, seu bandolim e grupo fazem show de boas vindas no Sindicato dos Bancários**. Será regado a chorinho, samba, MPB e cerveja caseira (haverá outras) feita especialmente por Hans Bintje (querido leitor) para celebrar esse encontro histórico. Nassif aguarda sugestões para o repertório.
Já estão inscritos 152 blogueiros de 15 unidades da Federação: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.
Passagem aérea e hospedagem solidária
Um acordo fechado com a Gol barateará as passagens. Para saber quanto custará o bilhete, verifique a menor tarifa do seu trecho. Aplique 20% de desconto sobre o valor. É quanto custará.
O objetivo da comissão organizadora é garantir hospedagem gratuita ao maior número possível de participantes de outros estados e do interior de São Paulo.
Aliás, vários leitores já se ofereceram para hospedar em casa blogueiros de fora de São Paulo, capital. Obrigadíssima. Precisamos de mais hospedagem solidária.
Quem puder, por favor,envie e-mail para contato@baraodeitarare.org.br ou telefone para (011)3054-1829–. Fale com Daniele Penha, do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, uma das entidades apoiadoras do encontro. Apóiam-no institucionalmente também a Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom) e o Movimento dos Sem Mídia (MSM).
Daniele Penha informará também sobre inscrições e passagens aéreas. As inscrições custam 100 reais. Estudantes pagarão 20 reais.
Já são 14 amigos da blogosfera
A campanha Amigos da Blogosfera, lançada há duas semanas, está a todo vapor. Ela ajudará a custear parte das despesas de blogueiros que virão de outros estados.
São 20 cotas de 3 mil reais. Estas 14 estão confirmadas: Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), CUT (Central Única dos Trabalhadores) nacional, CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo***, Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), Federação dos Químicos de São Paulo, Café Azul***, Carta Capital, Conversa Afiada, Revista Fórum***, Seja Dita a Verdade, Viomundo
Importante: no início da próxima semana, divulgaremos a programação completa.
* Comissão Organizadora: Luiz Carlos Azenha, Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Altamiro Borges, Conceição Lemes, Eduardo Guimarães, Conceição Oliveira, Rodrigo Vianna e Diego Casaes.
** O Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo fica na rua Genebra, 25. É onde ocorrerão os trabalhos dos dias 21 e 22 de agosto. O show do Luis Nassif será na Regional Paulista do Sindicato dos Bancários: rua Carlos Sampaio, 305.
*** Essas cotas vão ser pagas, respectivamente, com locação, produção de logomarca, banner para web e hotsite e confecção e impressão de cartazes.

A CUT e o encontro dos blogueiros

: Reproduzo artigo de Rosane Bertotti, secretária nacional de comunicação da CUT, publicado no sitio da entidade:
Marcado para os dias 21 e 22 de agosto na capital paulista, o 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas representa um passo firme na caminhada pela democratização da comunicação, articulando mais do que vozes dissonantes, cérebros pensantes, de gente comprometida com um novo tempo para o país.
Na verdade, em ações como esta se encontra o centro da mudança que necessita ser feita, e para a qual todos estamos convocados a nos mobilizar: ampliar os espaços de participação e a conversação, o questionamento e o envolvimento, o protagonismo individual e coletivo. Para isso, naturalmente, é preciso garantir que meios de comunicação como a rádio e a televisão – que são concessões públicas que dialogam com milhões – em vez de propriedade privada de um emissor, sejam instrumentos da liberdade do pensamento, da mais ampla e fecunda pluralidade das ideias e da diversidade das culturas.
Diante de tamanho desafio, os blogueiros têm sido – e serão cada vez mais – agentes desta mudança, ao questionar o discurso impositivo e autoritário das verdades prontas e acabadas, permitindo uma reflexão crítica sobre os descaminhos de mídias, governos ou empresas, dando a sua contribuição ao processo de debate. Daí o investimento que a CUT está fazendo — e deve continuar fortalecendo, com o imprescindível apoio e envolvimento da sua militância — na articulação com as redes sociais, para, além de desobstruir canais e furar bloqueios, abrir novos caminhos.
O fortalecimento de instrumentos alternativos à ditadura imposta pelos barões da mídia e seus conglomerados é essencial para por em xeque a lógica negocista que, ao transformar a informação em mercadoria, uniformiza, intoxica e empobrece leitores, ouvintes e telespectadores. Sem ter como expor o contraditório, com o eixo da pauta contaminada por estes centros irradiadores de desinfomação/alienação, com o enfoque já predeterminado pela direção ditada pelo capital – bem grande e transnacional – as amplas maiorias ainda se veem reduzidas a serem consumidoras ou vítimas do discurso de legitimação do poder político e econômico.
Apenas para ilustrar, vamos a dois casos recentes que dignificam o papel dos blogs e seus sujeitos, os blogueiros. O candidato de FHC à presidência, José Serra, tentou se fazer passar como o criador do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do Seguro Desemprego, mentindo a torto e a direito, confiando na exposição em rádio e televisão, junto com o martelar de seus escribas em jornais e revistas. Para desmenti-lo, foi fundamental a ação da CUT e das demais centrais sindicais em suas páginas pela internet, que contaram com a valorosa contribuição dos blogs progressistas para enterrar de vez a ladainha.
Na semana seguinte, o presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) veio fazer considerações a respeito do presidente Lula e da democracia em nosso país e no continente. Tais análises, altamente preconceituosas e difamatórias, logo mostraram sua razão de ser: o dito cujo é dono de um jornal de Miami que recebe recursos do Departamento de Estado norte-americano para difamar o governo cubano e todo e qualquer governante que não siga o receituário de Washington. Novamente, via blogs e páginas da internet, recebemos as informações rapidamente, desmontando o circo.
Mais do que plantar em pequenos vasos a mudança, é hora de lutar pela primavera, irradiando a todos e todas o colorido da diversidade. Que, imbuídos deste sentimento e com o compromisso de luta pela soberania nacional, pela justiça e pelos direitos, milhares de blogs floresçam.

CHARGE DO BESSINHA

Dilma em seu mais novo sucesso

Dilma em seu mais novo sucesso
O criativo Dilmaboy está bombando na internet com o seu último sucesso. Agora, em desenho animado, aqui
“Alÿ, Serra, Dilma é favorita pra vencer, só você não sabe,quer disputa pra quê? … o povo tem fome e quer comer.
Sorry, Serra, você vai perder. “
Sorri, periferia. Dilma vem aí.
Urariano

A CARA E A VOZ DO POVO!

Participei de um desses encontros que os candidatos estão fazendo com seus correlegionários e eleitores. Estive junto com LUDIO CABRAL 13130. Confesso fui preparada para ouvir o mesmo discurso da Teoria do Umbigo. Aquela que o candidato acho que o universo gira em torno do seu. Afinal, Ludio é médico, enquanto a maioria das pessoas que ali estavam eram como eu, simples e tinham problemas comuns das classes populares. Imaginei, já vai começar… Deve ter decorado um bom discurso. Mas, o que ouvi era a voz de alguém que se dispunha a ouvir e aprender sobre as necessidades da sociedade. Engraçado como a gente se engana. O discurso… O discurso se fez. Não veio pronto. Tinha a autenticidade porque brotava dos lábios dessas pessoas que ali estavam e que precisavam apenas de um instrumento e LÚDIO CABRAL 13130 era aquela ferramenta que permitia eles manejar para que seus direitos de cidadão fossem respeitados. A sensibilidade das classes populares sentiu que precisava avançar para consolidar as conquistas e buscar resolver os problemas da distribuição igualitária dos benefícios do desenvolvimento do Estado de Mato Grosso. Nesse momento, percebi que o mandato não era de Ludio, era sim, do coletivo. Comecei a pensar e se todos agissem assim? Tenho refletido, acho que a sociedade estaria instrumentalizada na Assembléia Legislativa e as decisões poderiam expressar a vontade soberana dos eleitores e talvez, a imagem da Instituição estivesse mais protegida. Sai de lá convencido, Lúdio Cabral 13130 é um candidato a DEPUTADO ESTADUAL diferenciado.

Desânimo Toma Conta do PSDB

Por Guina

Depois que o Ibope mostrou que Dilma está na frente de José Serra em pesquisa nacional e também em Minas Gerais (reduto tucano), o desânimo tomou conta da cúpula do partido.
FHC está cada vez mais preocupado com a queda de José Serra nas pesquisas, prefeitos do PSDB e do DEM estão abandonando o barco e começam a apoiar Dilma, outros da base de apoio de Serra em São paulo também estão pulando a cerca e apoiando a petista…
Enfim, o desânimo é quase que total e segundo se comenta a oposição vai se reunir nos próximos dias para intensificar os ataques contra Dilma e Lula numa última tentativa de melhorar o desempenho de José Serra nas pesquisas.
Como não podem apresentar propostas de mudanças, pois o governo Lula bate recordes de aprovação, o comentário é que a única saída é partir para o ataque.
Pobre oposição.
Melhor seria respeitar a vontade do povo e tentar melhorar os seus quadros para que assim possam apresentar soluções ao país e não achar que atacando adversários políticos é o caminho para vencer uma eleição.

Irã mostra disposição em aceitar oferta de Lula sobre mulher condenada

Proposta. Parentes de Sakineh Mohammadi Ashtiani, iraniana condenada por adultério e sentenciada à morte por apedrejamento, afirmam que o regime de Teerã prometeu resolver caso ainda esta semana após presidente brasileiro oferecer País como refúgio – O Estado de S.Paulo
TEERÃ
O governo do Irã indicou ontem disposição em aceitar a oferta feita pelo presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que no sábado disse que o Brasil poderia receber a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento. A proposta de Lula fez com que a imprensa oficial divulgasse, pela primeira vez, detalhes da história de Sakineh e deu esperança para a família da condenada, que antes vinha denunciando abuso das autoridades na condução do caso. Isolado do restante do mundo, o regime de Teerã pareceu disposto a atender ao pedido do Brasil, um importante aliado que já foi criticado por defender o programa nuclear iraniano e trabalhar contra a aprovação de novas sanções da ONU ao país.
De acordo com Sajad, filho de Sakineh, funcionários do governo lhe telefonaram momentos depois de Lula fazer as declarações, afirmando que o caso de sua mãe seria resolvido ainda esta semana. “Acho que o Irã não pode ignorar o Brasil como fez com outros países”, disse Sajad, em referência aos diversos apelos feitos pela comunidade internacional pedindo o perdão de Sakineh. “É muito importante que o Brasil, um dos aliados mais importante do Irã no mundo, tenha oferecido um refúgio para minha mãe.”
Sajad ainda afirmou que espera que a Turquia, outro importante parceiro do Irã, junte-se ao Brasil para resolver o problema. “Nenhum outro país do mundo tem a influência que o Brasil e a Turquia têm sobre o Irã agora.” Sakineh, de 43 anos, é mãe de dois filhos e foi condenada em 2006 a 99 chibatadas por ter “relações ilícitas” com dois homens. Uma outra corte retificou a condenação para “adultério” e a sentenciou à morte por apedrejamento – prática oficializada em 1983 no Código Penal do país persa. Imprensa. Até agora, a imprensa iraniana vinha ignorando o caso da condenada. A intervenção de Lula, porém, fez com que a agência de notícias oficial Fars noticiasse a história, afirmando que Sakineh havia sido condenada por adultério e depois sentenciada à morte por apedrejamento, expressão normalmente censurada no país. / THE GUARDIAN

AGENDA DE DILMA

Nesta segunda-feira, dia 2, Dilma Rousseff visita o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos RIO 2016. A visita da candidata será ao meio-dia, na sede do COB no Rio de Janeiro.

Serra e FHC, uma relação delicada

No futuro, um dos enigmas políticos contemporâneos, que talvez se torne tese para algum candidato ao mestrado de história, serão as relações políticas e pessoais entre Fernando Henrique Cardoso e José Serra. Não apenas os amuos recíprocos, as críticas ferinas que sempre trocaram, mas a relação quase simbiótica, a sujeição intelectual e política de Serra a FHC.
O que levou o tucano que parecia ter o maior potencial de liderança do partido, que assumiu o maior estado da União, em que as melhores experiências administrativas poderiam ser colocadas em prática, a ficar sempre em segundo plano, ofuscado pela liderança daquele que caminhava para ser o mais impopular ex-presidente da história?
Aqui alguns elementos para futuros historiadores que quiserem se habilitar a desvendar o enigma.
Eleito governador, José Serra parecia pronto para a escalada rumo à presidência da República. As eleições presidenciais foram encarniçadas. Sem dispor de cargos executivos, o ex-presidente FHC e senadores como Arhur Virgílio e Tasso Jereissatti, estimulavam o clima de guerra, o único no qual poderiam ganhar espaço junto ao PSDB.
O pêndulo do partido se inclinaria inevitavelmente para os governadores. O jogo político passaria a ser exercitado em outro nível porque todos – Lula e governadores – precisariam de um pacto de governabilidade. Os novos governadores seriam a caminho de arejamento da oposição, buscando governar da melhor forma possível para se qualificar para a sucessão de Lula. As esperanças maiores estavam em Aécio Neves, em Minas, e Serra, em São Paulo.
Terminada as eleições, com os ecos das baixarias ainda muito fortes, escrevi um artigo dizendo que tinha chegado a era dos negociadores. Serra tinha formação de centro-esquerda, não tinha acertos de conta com a biografia – como FHC com Lula -, seria o negociador, o governador com capacidade para conduzir uma interlocução de alto nível com o governo federal, enterrando a loucura que havia tomado conta da oposição e da mídia.
A partir dali, o país entraria na era do amadurecimento político, com oposição e situação disputando quem faria melhor governo, teria as melhores propostas, sem intenções golpistas, sem dossiês, sem o clima terrível inaugurado pelo pacto espúrio de 2005 com a mídia
No artigo, dizia que a única esperança de Serra se consolidar seria enterrar o fernandismo e inaugurar definitivamente o serrismo. Outros conselheiros de Serra insistiram no mesmo ponto.
Até então, julgava que as constantes manifestações de Serra sobre temas relevantes – levantados por um grupo restrito de pessoas que ele ouvia – fossem sinais de uma visão mais abrangente da economia. Levei algum tempo para entender que, afora alguns temas de economia, Serra passara ao largo de todas as grandes discussões dos anos 90 – gestão, inovação, políticas sociais etc. Suas manifestações sobre alguns temas que ganhavam repercussão na mídia eram meramente táticas, visando ganhar a confiança de jornalistas ou de lideranças de alguns setores para fortalecer sua cruzada anti-Malan, na disputa pelas atenções de FHC.
Assim que recebeu o artigo pelo mailing, ele me ligou. Disse que, em geral, concordava com minhas posições, mas não naquela visão de romper com o fernandismo. «Ele é meu amigo, me apoia», me disse.
Estranhei a conversa. Não estavam em jogo amizade ou coisas do gênero, mas a afirmação de um novo conjunto de idéias, de uma nova liderança, o que só poderia ser feito se se enterrasse o modelo anterior, desenhado e conduzido por FHC. Como inaugurar uma nova era no PSDB sem consumar o enterro da anterior, que o partido carregava como uma bola de ferro amarrada aos pés?
Desligado o telefone, fiquei tentando entender a conversa. Aí caiu a primeira ficha.
Lembrei-me de uma cena ocorrida alguns anos antes que se fixara em algum lugar da memória e agora voltava à tona.
Foi no período em que ACM saiu atirando para todo lado. Deu entrevistas a duas ou três semanais, levantou o caso Ricardo Sérgio, atacou Serra, falou no caso do Fórum do TRT e do leque de escândalos que a mídia vinha agitando.
Tinha um almoço com Serra no mesmo sábado no qual saíram as entrevistas com ACM. Ele ligou remarcando em lugar mais discreto. Almoçamos no restaurante do Hotel Cá Doro.
As entrevistas haviam sido violentas. Na revista Época, o Augusto Nunes – então diretor – forçara a barra até o limite da imprudência. Na abertura da entrevista, dizia que ela tinha a mesma importância da que Pedro Collor dera à Veja no início do processo de impeachment. Era evidente que a mídia procurava colocar uma outra marca na pistola, de derrubar mais um presidente.
No almoço, disse claramente a Serra que FHC era muito contemporizador, mas agora não tinha saída: ou destruía ACM ou seria destruído.
Serra ouvia e de vez em quando soltava comentários no estilo «faço e aconteço». «É por isso que não me querem na presidência porque sabem que em dois tempos acabo com eles», comentou. Na época tinha credibilidade para esse tipo de bazófia e acreditei piamente que ele acreditava no que dizia.
Segunda-feira tinha palestra em Brasília. Por volta do meio dia estava a caminho do aeroporto quando recebi telefonema do Serra. Perguntou se poderia almoçar com ele e FHC no Alvorada. Pedi para o taxista dar meia volta e fui para lá.
Durante algum tempo ficamos os três conversando na sala. Ali, pela primeira vez, pude entender melhor a relação entre ambos.
Até então tivera muitos encontros com FHC – desde os tempos de Senado – e com Serra, mas isoladamente. Em períodos de crise, FHC procurava seduzir interlocutores; em período de bonança, tornava-se arrogante. Na crise, tornava-se pró-ativo; na calmaria, acomodado.
Já Serra, desde que se tornara Ministro de FHC tinha por hábito, nas conversas, de criticar todas suas decisões, dizer-se melhor preparado para a presidência e contar como faria melhor isso ou aquilo. Todos jornalistas sabiam disso e achavam engraçado.
Mesmo com muitas conversas em off, minha percepção, até então, era de um FHC frágil, pouco determinado. E era impressão generalizada. Lembro-me de um almoço com o embaixador norte-americano, no segundo semestre de 1994. Eu lhe dizia que não acreditava na disposição de FHC para conduzir reformas importantes ou enfrentar grandes desafios. Ele me disse que era a mesma percepção do Departamento de Estado. E nem me conhecia pessoalmente, mas apenas pelas colunas.
Surpreendi-me com a rude franqueza dele, ainda mais sabendo-se que o estilo da mídia, desde aquela época, era de não respeitar off. Para sua sorte sua inconfidência foi feita a um jornalista que respeitava o combinado.
Mas o que via na minha frente, ali no Alvorada, era algo que não batia com minha percepção sobre os dois políticos. FHC estava à vontade, falava bastante. Serra estava inibido, sorumbático, monossilábico.
Na conversa, FHC comentou sobre os problemas no TRT de São Paulo. Disse que as acusações iriam quebrar a cara porque o contrato era juridicamente perfeito.
Antes de ir para a mesa, Serra virou-se para mim e pediu que repetisse para FHC o que havia lhe dito no almoço de sábado. Repeti, disse que ou FHC destruiria ACM, ou seria destruído por ele.
FHC não perdeu a bonomia. Como se tivesse tratando de um problema banal, disse:
- O António Carlos está esperneando porque sabe que está perdido. Vai ser cassado por causa do vazamento do painel de votação do Senado.
O caso do vazamento ainda não ganhara os jornais. Não piscou, não perdeu a segurança. Era o Príncipe em estado puro, frio, senhor da situação, analista absoluto de todos os desdobramentos da maior crise qu
e enfrentara.
Olhei para o Serra, minha esperança de futuro grande estadista do país. E vi apenas um político assustado, inibido pela presença e pela análise de situação de FHC.
Fiquei algum tempo sem entender direito. Porque Serra precisou de mim para transmitir um recado que, se ele tivesse o poder de que se jactava, teria sugerido pessoalmente a FHC? Mais que isso: parecia desconhecer a determinação de FHC. Será que aquela inibição que testemunhei no almoço, quase um temor reverencial, era a regra nas suas relações pessoais?
Saí do almoço intrigado. Depois o dia a dia soterrou por algum tempo as lembranças daquelas cenas. A memória trouxe de volta quando Serra desligou o telefone, depois de me dizer que não havia razão para romper com o fernandismo.
No fundo, jamais conseguiu se desvencilhar da influência massacrante de FHC. Não propriamente nas ideias, mas na capacidade de decidir, de se mover no cenário político, na frieza ao encarar os grandes perigos, na clareza de definir slogans mobilizadores de campanha, da segurança de saber o que queria.
E FHC sempre conheceu Serra como a palma da mão. Daí a relutância permanente em abrir espaço para ele – que Serra interpretava como medo da sua competência. Daí as ressalvas permanentes, as dicas que passou no perfil que a revista Piauí traçou sobre Serra.
Durante os quatro anos como governador, comeu na mão de FHC. Através dele, montou o pacto com a mídia que lhe permitiu exercitar seu esporte predileto: fuzilar reputações de terceiros, pedir a cabeça de jornalistas, atuando nos bastidores. Foi a FHC que recorreu em pânico, em janeiro, querendo se afastar do cálice da candidatura a presidente, conforme a reconstituição feita pelo Estadão.
Em toda sua vida política, afastou-se de FHC apenas nos dois últimos meses, pressionado pelos altíssimos índices de rejeição do seu guru. E aí tornou-se um trem desgovernado, sem maquinista. Extraído do Blog do Nassif

RESUMO DAS NOTICIAS DO DIA

Nacionais:

- Expansão do emprego com carteira assinada vai fazer a felicidade de 2,5 milhões de pessoas neste ano Mas as regras fiscais e as da Bolsa Família ainda jogam contra a formalização; (3)
- Brasil está perto de ser maior o player mundial de alimentos, diz ministro da Agricultura. Wagner Rossi disse que, dado o crescimento demográfico global, os alimentos ganharão cada vez mais destaque nas comercializações; (2)
- Caderneta de poupança mantém atratividade; (2)
- Energia alternativa. A Energias Renováveis do Brasil vai investir R$ 450 milhões em projetos de cogeração de energia a partir da biomassa para substituir o uso de gás natural e óleo combustível em clientes industriais da empresa; (1)
- Casa própria terá novas fontes de financiamento. Risco de que recursos da poupança sejam insuficientes em três anos leva construtoras a buscar opções para tocar projetos. Venda de títulos e criação de fundos estão entre as alternativas; (1)
- Estrelas da bolsa. Além da marca de melhor mês desde maio de 2009, com valorização de 10,8%, julho guarda outros recordes. Das 65 ações que integram o Índice Bovespa, 11 estão nas máximas históricas, a maior parte ligada ao consumo interno; (1)
- Paulo Bernardo faz apelo para que população receba recenseadores. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, fez um apelo hoje (1º) para que a população abra as portas de suas casas para receber os recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A coleta de informações para o Censo 2010 começou hoje (1º) em todo o país; (3)
- Auto luxo. Aberta em outubro em São Paulo, a primeira revenda da Lamborghini na América Latina já vendeu 13 carros, ao preço médio de R$ 1,5 milhão cada um. A novidade para 2011 será a Gallardo Supeleggera, que será apresentada no país no Salão do Automóvel, em outubro; (1)
- Transplantes batem recorde no Brasil. Ministério da Saúde contabiliza 2.367 operações no semestre, um avanço de 16,4% sobre o mesmo período de 2009 – crescimento é puxado por outros Estados; (1)
- Novos atentados assustam em SP. Uma série de atentados no fim de semana deixaram em alerta as autoridades paulistas. No sábado, um policial escapou de 15 tiros. No domingo, o quartel da Rota foi atacado. Governo nega ação de grupo organizado. (1)
Política
- Lula diz que resultados de sua gestão “justificam um governo de continuidade”; (3)
- Lula diz vai participar todos os dias do programa de TV de Dilma; (6)
- Dilma lidera pesquisa Ibope com 39% contra 34% de Serra. Pesquisa contratada pelo ‘Estado’ e pela TV Globo dá vantagem à petista; Marina aparece com 7%. A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, lidera a pesquisa Ibope/Estado/TV Globo com 39% das intenções de voto. José Serra (PSDB) aparece com 34%. Marina Silva (PV) mantém 7%. José Maria Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Rui Costa Pimenta (PCO)e Zé Maria (PSTU) não pontuaram. Brancos e nulos são 7% e indecisos somam 12%; (2)
- Ibope: Dilma abre 12 pontos sobre Serra em Minas. A candidata petista Dilma Rousseff abriu 12 pontos porcentuais de vantagem sobre o tucano José Serra em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do País e Estado considerado por analistas políticos como o principal campo de batalha da campanha presidencial; (2)
- Corrida entra na fase final com Dilma acelerando; (2)
- Petista cresce onde tucano faz mais campanha. Apesar de José Serra (PSDB) ter concentrado sua campanha no Nordeste nas últimas semanas, a vantagem de Dilma Rousseff (PT) na região aumentou. Em comparação à pesquisa anterior do Ibope, feita um mês atrás, a diferença pró-petista cresceu de 18 para 24 pontos porcentuais no eleitorado nordestino; (2)
- Dilma – Vamos vencer mostrando as realizações do governo Lula; (2)
- Dilma – “Quem usa a tática do medo, está muito desesperado ou não percebe em que país vive”; (2)
- Dilma Rousseff – Só a Educação garante mão de obra qualificada e inovação tecnológica; (2)
- Dilma minimiza resultados de pesquisas eleitorais e afirma que caminhada até 3 de outubro é longa; (3)
- Dilma diz que manterá o BNDES como principal instituição para financiamento a grandes projetos; (3)
- Marta – PT, lidera Ibope para o senado em São Paulo. Segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, petista tem 31%; disputa pelo segundo lugar mostra empate técnico entre quatro candidatos; (2)
- Cabral lidera no Rio com 58% das intenções de voto, segundo Ibope. Candidato à reeleição venceria a disputa no primeiro turno, segundo pesquisa contratada pelo ‘Estado’ e pela TV Globo; (2)
- Hélio Costa lidera disputa para o governo em MG, aponta Ibope. Candidato do PMDB tem 39% das intenções de voto contra 21% do tucano Antonio Anastasia, segundo pesquisa contratada pelo ‘Estado’ e pela TV Globo; (2)
- Ibope aponta vitória de Eduardo Campos no 1º turno em PE. Atual governador registra 60% das intenções de voto, segundo pesquisa contratada pelo ‘estado’ e pela TV Globo; Jarbas Vasconcelos tem 24%; (2)
- TSE multa Serra por propaganda antecipada; (2)
- Após sucesso na internet, ‘Dilmaboy’ se filia ao PT. (2)
Esportes:
- Reservas do Santos passam sufoco, mas vencem o Grêmio Prudente; (2)
- Internacional empata com Grêmio e sobe para o terceiro lugar na tabela; (2)
- Palmeiras e Corinthians no 1 a 1. Jogo foi bom, mas desfecho é ruim para ambos; (2)
- Sob olhar de Mano, Flamengo e Vasco empatam no Maracanã; (3)
-F.1 – Webber vence GP da Hungria e reassume a ponta do Mundial. Alonso é 2.º, Vettel 3.º e Massa 4.º; Barrichello ganha batalha contra Schumacher; Hamilton; (2)
- F1 – Schumacher é punido pela FIA após fechada sobre Barrichello na Hungria. Piloto alemão da Mercedes perderá dez posições no grid do próximo GP, na Bélgica, no fim deste mês. (2)
Internacionais:
- Cuba se prepara para começar a explorar petróleo no Golfo. Gigantesca plataforma semissubmersível deve estar pronta no fim do ano em estaleiro da China; (2)
- EUA têm plano para atacar Irã. O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos, Mike Mullen, reconheceu que o país já tem um plano de ataque ao Irã, mas diz que não deseja que seja preciso colocá-lo em prática; (1)
- Condenada à morte pode se exilar no Brasil, sinaliza Irã. (1)
Brasília/DF:
- Agnelo faz caminhada em Vicente Pires e Taguatinga neste domingo (01/08). O candidato ao Governo do DF Agnelo Queiroz (PT) começou o domingo de campanha na Feira do Produtor, em Vicente Pires. Os aspirantes ao Senado Cristovam Buarque (PDT) e Rodrigo Rollemberg (PSB) também participaram da caminhada; (3)
- Cristovam lidera disputa ao Senado no DF, indica Ibope. O senador Cristovam Buarque (PDT) lidera a disputa por uma cadeira no Senado pelo Distrito Federal com 39% das intenções de voto, de acordo com pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”; (4)
- Fraga abandona a campanha de Roriz Depois de declarar apoio ao ex-governador, Alberto Fraga (DEM) decide romper com o candidato do PSC ao Buriti e diz que lutará por uma vaga no Senado de forma independente. Vaias de rorizistas em eventos políticos teriam sido o estopim do racha; (3)
- Brunelli desiste de disputar eleições. O ex-deputado
Junior Brunelli (ex-PSC) desistiu nesta sexta-feira (30) de disputar a eleição para a Câmara Legislativa do Distrito Federal. Ele encaminhou o pedido de renúncia de sua candidatura ao Tribunal Regional Eleitoral. O ex-deputado brigava na Justiça para se candidatar ao cargo e chegou a ser expulso do PSC por este motivo. Suspeito de participar do escândalo do mensalão do DEM do Distrito Federal, Brunelli ganhou notoridade ao protagonizar o episódio que ficou conhecido como a “oração da propina”. Ele teve os bens bloqueados pela Justiça; (4)
- Bombeiros atuam só com metade da tropa. Há 10 anos sem concurso público, corporação opera hoje com 5,3 mil homens, quando lei federal estipula que a equipe deveria ser formada por 9.703. Para suprir a demanda de 30 regiões administrativas, principalmente neste período de seca, em que os incêndios florestais são constantes, militares precisam dobrar o turno. Todos os anos, ocorrem cerca de 100 aposentadorias, mesmo número de integrantes cedidos para trabalhar como agentes penitenciários. Seria necessário contratar, anualmente, 330 pessoas e, assim, manter um crescimento sustentável do contingente; (1)
- O tempo em Brasília ficará hoje entre 12° e 27°. Sol com algumas nuvens. Não chove. (3)
Dilma Rousseff
O Brasil unido para elege-la logo no primeiro turno

Uma imagem fala por 1.000 palavras…

Depois dizem que a acusação de fazer as estatais estratégicas darem prejuízo para em seguida justificar sua venda a preço vil é só “trolóló do PT”….

Por João Prado Ribeiro Campos

1ª pesquisa (Ibope) do ano no Amapá indica Dilma à frente de Serra

“Entre os amapaenses, Dilma Rousseff (PT) vence com 38% dos votos. José Serra (PSDB) tem 31%. Com a margem de erro de 3 pontos, Dilma vai de 35% a 41%. Serra vai de 28% a 34%. Nenhuma variação ocasionada pela margem de erro provoca empate.
Marina Silva (PV) tem 13%. Outros candidatos, juntos, somam 3%. Brancos, nulos e indecisos são 15%.” Fonte: Fernando Rodrigues, UOL/Blog

Aliados rifam Serra da campanha nos maiores colégios eleitorais

Com 25 dias de campanha, os candidatos a governador aliados de José Serra (PSDB) nos oito maiores colégios eleitorais do país ainda não incorporaram a imagem do tucano em seus santinhos, adesivos e cartazes. Serra foi rifado num conjunto de estados que representam nada menos que 94 milhões de eleitores. Até sexta-feira (30), só a campanha de Antonio Anastasia, em Minas Gerais, começava – timidamente e sob muita pressão – a produzir material casado. Mesmo em São Paulo, base de Serra, ainda não há material com ele ao lado de Geraldo Alckmin, exceto painéis em encontros de sua coligação.
Nos sites dos candidatos nesses oito estados – que representam 94 milhões de eleitores –, não havia um único material de campanha casado disponível para download. Nem mesmo na apresentação das páginas havia uma foto do candidato. A foto oficial de Serra, em alta resolução, está disponível no seu site oficial desde o início da corrida presidencial. Com ou sem Serra, o custo de imprimir um adesivo, por exemplo, é o mesmo.
Na campanha a governador de Marcos Cals (PSDB-CE), em vez do presidenciável Serra, o postulante à reeleição no Senado Tasso Jereissati é onipresente nas propagandas. Segundo José Liberato, coordenador da campanha de Cals, Serra ainda não entrou por “dúvidas na hora de contabilizar os custos” da impressão da imagem do candidato. No Paraná, onde Beto Richa (PSDB) lidera as pesquisas e por onde Serra iniciou oficialmente sua campanha, a promessa era que o material casado comece a ser distribuído nesta segunda-feira. Ou seja, quando a campanha estará quase entrando na quarta semana. O “esquecimento” se estende a Pernambuco, segundo maior eleitorado do Nordeste, região onde Serra tem o pior desempenho nas pesquisas. A coordenação da campanha de Jarbas Vasconcelos (PMDB) disse, na quarta-feira, que a imagem do tucano chegara na véspera. Até sábado, contudo, ainda não havia material casado.
Até Sérgio Guerra omite Serra
Coordenador da campanha de Serra, o senador Sérgio Guerra nega que os aliados estejam escondendo deliberadamente a imagem do presidenciável tucano nos estados. Ele mesmo disse não ter Serra em seus santinhos para deputado federal. Segundo Guerra, por erro na montagem do material. Mas, ao tentar minimizar o problema, o coordenador de Serra aponta uma razão equivocada: diz que a falda de material casado atinge também a campanha Dilma Rousseff (PT) – o que não é verdade. A imagem de Dilma acompanhava o material de campanha de seus aliados em sete dos oito maiores estados. Guerra citou um exemplo equivocado da Paraíba – em que a imagem de José Maranhão (PMDB), aliado de Dilma, estaria associada exclusivamente ao presidente Lula. “Por que tinha material dele só com o Lula? Porque o Lula dá voto, e a Dilma não dá”, disse Guerra. O material de Maranhão, no entanto, inclui Dilma. Da Redação, com informações da Folha de S.Paulo. Vermelho

Classe D já supera B em poder de consumo

“Pela primeira vez essa faixa ocupa segundo lugar no ranking, atrás apenas da Classe C
Márcia De Chiara, Estado de S. Paulo
Pela primeira vez neste ano, a massa de renda das famílias da classe D vai ultrapassar a da classe B, apontam cálculos do instituto de pesquisas Data Popular. Em 2010, as famílias com ganho mensal entre R$ 511 e R$ 1.530 têm para gastar com produtos e serviços R$ 381,2 bilhões ou 28% da massa total de rendimentos de R$ 1,380 trilhão. Enquanto isso, a classe B vai ter R$ 329,5 bilhões (24%). A classe B tem renda entre R$ 5.101 e R$ 10.200. O maior potencial de compras, no entanto, continua no bolso da classe C: R$ 427,6 bilhões. “Mas é a primeira vez que a classe D passa a ser o segundo maior estrato social em termos de consumo”, afirma o sócio diretor do Data Popular e responsável pelos cálculos, Renato Meirelles. Ele considerou nos cálculos a expectativa de 7% para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano. De oito categorias de produtos avaliados pelo instituto de pesquisas, em quatro delas o potencial de consumo da classe D supera o da B para este ano. São elas: alimentação dentro do lar (R$ 68,2 bilhões); vestuário e acessórios (R$ 12,7 bilhões); móveis, eletrodomésticos e eletrônicos para o lar (R$ 16,3 bilhões) e remédios (R$ 9,9 bilhões).”

GOVERNO SERRA: SP atrasa vale-alimentação de professor

Docentes da rede estadual não recebem auxílio desde fevereiro; governo afirma que problema será corrigido. Secretaria de Gestão atribui atraso a uma falha no sistema e diz que os valores atrasados brevemente serão pagos
FÁBIO TAKAHASHI – DE SÃO PAULO
Professores da rede estadual de São Paulo não recebem desde fevereiro o auxílio alimentação, utilizado para gastos em supermercados. Segundo o governo Goldman (PSDB), houve problema no sistema que fornece informações para o pagamento, que será solucionado nos próximos dias. Os valores atrasados serão pagos, afirma a Secretaria de Gestão. A pasta não soube informar quantos dos cerca de 200 mil docentes estão sem receber o benefício. A Apeoesp (sindicato dos professores) afirma que já recebeu dezenas de consultas de educadores, que reclamam da falta de pagamento ou de valores abaixo do correto. O benefício varia de acordo com a carga horária do professor. A quantia máxima é de R$ 80 mensais. “Com o nosso salário, cada centavo faz falta. Estou pedindo dinheiro para o meu pai para comprar comida ou pedindo para comprar fiado no mercado”, diz um professor de português da região de Campinas (interior de SP). O docente tem carga horária semanal de 30 horas e recebe R$ 1.500 de salário bruto. “Além de atrasar, o vale não é reajustado há dez anos”, completa o docente.
COXINHA
O valor dos vales foi alvo de críticas durante a greve dos professores no primeiro semestre, que durou um mês e acabou logo após o então governador, José Serra (PSDB), deixar o cargo para concorrer à Presidência. Como forma de protesto, os grevistas fizeram almoço com coxinhas na av. Paulista, em alusão ao valor de cada vale, R$ 4. A categoria pedia que o valor do benefício fosse multiplicado em quase quatro vezes. O governo dizia não haver condições financeiras. Segundo a Secretaria de Gestão, o problema no sistema ocorreu após a inclusão neste ano de duas jornadas na carreira dos professores -eram apenas duas. Com a falha técnica, “uma parcela dos professores passou a receber pagamento do beneficio a mais ou a menos”, afirma nota da pasta.

PT PREFERENCIA NACIONAL: Aprovação mais alta do PT projeta bancada recorde

Partido tem maior relação entre preferência do eleitor e votos para deputado. Se for mantida agora a coincidência de índices dos últimos 20 anos, partido poderá eleger mais de cem deputados
UIRÁ MACHADO – MAURICIO PULS – DE SÃO PAULO
Partido mais popular do país desde o ano 2000, o PT reconquistou o apoio que havia perdido durante a crise do mensalão e hoje é apontado como a legenda preferida por 25% dos eleitores, patamar mais alto de sua história. O partido, que chegou a ter 24% de preferência em dezembro de 2004, despencou para 15% em fevereiro de 2006, oito meses após a denúncia do mensalão. A recuperação começou depois da reeleição de Lula. Em dezembro de 2009, o PT atingiu 25% de preferência popular, valor que permanece estável desde então (os números são do Datafolha).
A retomada da popularidade em ano eleitoral pode ser vista como indicador de aumento da bancada petista na Câmara dos Deputados. Levantamento feito pela Folha mostra que há 20 anos existe grande correlação entre o índice de preferência do PT e o total de votos que o partido obtém para seus candidatos a deputado federal. Se a correlação se mantiver na disputa deste ano, o PT poderá eleger mais de cem deputados federais.
Em 1990, segundo o Datafolha, 9% dos eleitores afirmavam que o PT era seu partido preferido. A legenda teve então 10,2% dos votos e elegeu 7% dos deputados. Em 1994, com 13% de preferência, teve 12,9% dos votos e 9,6% de deputados; em 1998, 11% de preferência, 11,2% dos votos e 11,3% de deputados; em 2002, 20% de preferência, 18,4% dos votos e 17,7% de deputados; em 2006, 16% de preferência, 14,9% dos votos e 16,2% de deputados federais. A diferença entre a preferência do PT aferida pelo Datafolha e o percentual de votos do partido nunca superou 1,6 ponto percentual. Já a discrepância em relação às bancadas eleitas é maior (3,4 pontos), em razão das coligações partidárias e sobretudo das distorções na distribuição das cadeiras da Câmara entre os Estados. Na década de 90, o PT era mais forte no Sul e no Sudeste. Com 60% do eleitorado, as regiões tinham 49,6% das vagas na Câmara. Daí por que o partido conquistava menos cadeiras que votos. O crescimento nos anos posteriores ocorreu sobretudo no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que têm proporcionalmente mais vagas. Em 2006, a legenda conseguiu mais cadeiras que votos. O PT também chegou aos grotões. Em 1993, estava presente de forma organizada em cerca de 40% das cidades; em 2009, em 96%.
OUTROS PARTIDOS
A preferência partidária não é um indicador necessário de intenção de voto. Se a regra parece valer para o PT, no caso dos outros partidos não é possível encontrar correlação. Em 2006, por exemplo, o PSDB elegeu 12,9% dos deputados, mas tinha 5% de preferência. Já o PP, com 1% de preferência, elegeu 8% dos deputados. O PT hoje é exceção quando o assunto é preferência partidária. Metade dos eleitores declara não ter nenhum partido predileto. As demais siglas têm índices bem menores. O segundo colocado é o PMDB, com 7%, seguido pelo PSDB, com 5%.

Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria…

No país que se acostumou com cheiro de pizza, um novo perfume começa cobrir o país. Muito suave, mas com vigor que contagia. Não existe disputa de sexo, apenas a ocupação de um espaço e da instrumentalização de bandeiras que apenas uma mulher teria legitimidade para sustentar. Já votei em homens e vou votar ainda muito. Confesso pouco votei em mulheres. Evidente que tive vontade. Houveram tantas mulheres candidatas, mas eram apenas mulheres e nem sempre representavam as aspirações da mulheres brasileiras, desde a mais humilde dona de cada, da doméstica, margarida ou a executiva, a professora ou médica, por exemplo. Eram, muitas vezes, mulheres lançadas para ocuparem e representarem a continuidade do projeto de seus esposos. Ainda têm muitas destas. Não é destas que estou escrevendo, não somam ou contribuem com nada. Quero falar de você candidata-mulher que a despeito das dificuldades de estrutura de campanha, ainda assim, fez-se forte e lançou seu nome e com ele, trouxe novas idéias para melhorar a sociedade brasileira. O Partido dos Trabalhadores lançou DILMA PARA PRESIDENTE, não é uma candidata das mulheres, mas uma candidata mulher para governar o Brasil de forma igualitária para homens e mulheres. Agora olho e vejo pontificar em todo o país nomes para o Senado, para a Câmara Federal, para as Assembléias Legislativas.O Brasil governado por Lula proporcionou a oportunidade da mulher buscar a igualdade, como conquista, não como benesse. Vou acompanhar o desempenho de cada uma nessa empreitada, independente do resultado. Trata-se da ocupação de espaço, da demonstração pública da competência e de habilidade de congregar opiniões diferentes, através da identificação do objetivo comum. O PT é assim. Um partido com toda uma pluralidade de opiniões que torna rica a discussão e permite ao fim, encontrar a melhor proposta, a resposta para o desafio que precisa ser superado. o PT é pioneiro na questão de cotas para as mulheres, antes mesmo de ser lei, já tinha garantido o direito das mulheres concorrer.

DILMA NO PRIMEIRO TURNO!
Hilda Suzana Veiga Settineri

FOTOS: Margarida Maria Alves, lider trabalhadores rurais assassinada; Jusci da Eletronorte candidata dep. estadual MT; Professora Verinha, candidata dep. estadual MT; Olga Benario Prestes, mulher de Luiz Carlos Prestes, mandada para a morte na Alemanha hitlerista; Dilma e Maria do Rosário, candidatas a presidencia e a dep. federal RS!


Em nome de Lucas Silva de Oliveira
Acessos

Peça seus adesivos
Para receber os adesivos "AGORA É DILMA", envie seu nome e endereço completo com cep e a quantidade de adesivos para blogdadilma13@gmail.com Continue depositando na conta do Blog da Dilma. BANCO DO BRASIL(001) AGÊNCIA 0675-0 - CONTA: 40547-7 em nome de Lucas Silva de Oliveira, Fale com o Daniel Bezerra -(Ligue 85-81629695-editor geral).
Youtube Video
Blog super acessado
Nosso e-mail

Escreva para o BLOG DA DILMA:
blogdadilma13@gmail.com

Calendário de Posts
agosto 2010
S T Q Q S S D
« jul    
  1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31  
Portal de Campanha
Em São Paulo


No Ceará












Na Bahia
No Rio Grande do Sul
No Rio de Janeiro
Blog Socialista


PIG


Quem está Online
0 Membros.
7 Visitantes.
Dilmista online

Militantes online