Arquivo para agosto 20th, 2010 página

CHARGE DO BESSINHA

Editorial Carta Maior: Serra, um caso de Procon ou pior que isso?

Em seu editorial desta sexta-feira (20), o portal Carta Maior apresenta as contradições do candidato Serra, que é de oposição, mas que bem gostaria de ter o apoio (e a popularidade) do presidente Lula.

Confira o editorial publicado nesta sexta-feira (20):

“Serra faz propaganda enganosa vendendo uma intimidade política e pessoal com o presidente Lula que ele não tem.

Guinadas sucessivas durante a campanha, às vezes num mesmo dia, não raro em intervalo de horas, já suscitam, até em aliados, a dúvida pertinente: afinal, o que é verdadeiro em José Serra?

De dia, o arestoso tucano acusa o governo Lula de cercear a liberdade de expressão; à noite, o personagem esquivo adula o Presidente da República e esconde FHC, o mandatário a quem serviu durante oito anos.

“Ingrata”, diz em relação a adversária que, em raciocínio tortuoso, acusa de menosprezar a obra do governante eclipsado em sua própria campanha, cujo carro-chefe é não olhar o retrovisor.

Seu jingle eleitoral falsifica a voz de cantora famosa; no rádio, falsifica a voz de Lula; a favela onde falsifica popularidade é uma simulação reveladora da visão higienista adotada quando esteve à frente do poder municipal e estadual.

O candidato que incorpora Carlos Lacerda num dia, afirma ter sido elogiado por Brizola no outro; defende a liberdade de imprensa em discurso mas pede cabeças de jornalistas aos patrões pelo telefone.

‘Democrático’ em auto-elogio, implodiu a própria coligação na obsessiva rotina de centralização das decisões mais comezinhas.

O presidenciável que se propunha a unir o Brasil, agora desqualifica conferencias nacionais da cidadania com a participação ecumênica de milhares de delegados de todo o país.

Serra será apenas um caso de Procon, um oportunista desesperado? Ou um distúrbio de personalidade perigosamente aferrado à idéia de ser o onipotente governante do país?”

Carta Maior (www.cartamaior.com.br)

PT entra com duas representações contra Serra por citar Lula

MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

O PT começou a responder nesta sexta-feira parte dos ataques do PSDB à presidenciável Dilma Rousseff e entrou com duas representações na Justiça Eleitoral contra inserções de José Serra (PSDB) no rádio.

As peças da campanha tucana citam o nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e acusam Dilma de “pegar o bonde andando” e de ser desconhecida. As inserções fazem parte da estratégia tucana para reverter a desvantagem nas pesquisas de intenção de votos.

Leia as representações e

Os advogados do PT devem entrar neste sábado com uma nova ação, desta vez acusando Serra de explorar indevidamente a imagem de Lula em sua propaganda na televisão. O programa da coligação que busca eleger José Serra mostrou o candidato ao lado do presidente em três quadros, na abertura da propaganda eleitoral. O texto dizia “Serra e Lula, dois homens de história, dois líderes experientes”.

Nas representações protocoladas hoje, o PT pede a perda de 420 segundos de inserções dos tucanos na propaganda eleitoral no rádio. O texto acusa Serra de usar “maliciosamente” seu espaço na propaganda eleitoral para “confundir o eleitor”, “ridicularizar” Dilma, sustentando que ela é uma “pessoa que não se pode confiar”.

“A propaganda expõe falsamente a candidata Dilma Rousseff buscando claramente degradar e ridicularizar sua imagem, colocando-a como popularmente e depreciativamente chamado de “um ninguém”. [...] Ademais, maliciosamente aproveitar-se da imagem de filiado a partido adversário quanto trata o Exmo. Sr. Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, como “nosso Lula”, diz a ação.

O PT questiona duas inserções utilizadas pela coligação de Serra. A primeira fala: “Nosso Lula está saindo; e essa senhora quer ficar no seu lugar; ninguém conhece; ninguém sabe de onde veio; ninguém sabe o que ela pensa; como eu posso confiar; lula que me desculpe, mas com a Dilma não vai dar”, diz o jingle.

A outra peça sugere que Dilma quer usurpar os feitos do governo Lula. “Dona Dilma pegou o bonde andando; tá de carona e quer sentar na janela; dona Dilma; o Lula fez as coisas; a gente sabe; nessa eleição vão dizer que é tudo dela; é ruim, hein”, afirma a música.

Para os petistas, a propaganda tucana quer sugerir uma intriga entre Lula e Dilma. “Visando ainda causar no eleitor uma imagem de intriga entre ele e sua candidata e correligionária Dilma Rousseff, como alguém que supostamente estaria buscando usurpar seus feitos e realizações. [Querem mostrar] que o presidente da República seria aliado a eles e não à candidata”.

Milhares de pessoas ao lado de Dilma pelas ruas de Vitória

O nome da cidade já indica o futuro: Vitória. Na capital capixaba, a candidata Dilma Rousseff desembarcou no fim da manhã na Praça Costa Pereira, que estava tomada por cerca de 5 mil eleitores e militantes. O caminho até a Praça Oito, cerca de 500 metros, custou a ser feito.

Em frente ao carro de som, centenas de bandeiras forçavam o carro que levava Dilma e o candidato ao governo do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), a andar em marcha lenta.

Na Praça Oito, do alto do carro de som, Dilma cantou com os militantes e saudou os que ocuparam as janelas dos prédios vizinhos. Uma chuva de papel picado atingiu a praça quando a candidata revelou: “O Espírito Santo faz parte da minha vida. Eu sou mineira e vocês sabem onde o mineiro conhece o mar. Eu estava nas costas do meu pai quando enxerguei o mar pela primeira vez em Guarapari.”

Dilma afirmou que o pré-sal encontrado nas águas capixabas trará desenvolvimento ao Espírito Santo. Em julho, a Petrobras iniciou no Campo de Baleia Franca a exploração do primeiro poço de petróleo da camada pré-sal. A produção de 13 mil barris de petróleo leve por dia deve chegar a 20 mil ainda este ano.

“O Espírito Santo é o berço de uma das maiores riquezas do Brasil, que é o pré-sal. Esta riqueza vai gerar trabalho, renda e vida digna para os filhos deste estado. E vai orgulhar muito o Brasil”, disse a candidata.

DIRETO DE CUIABÁ – MT!

EDUARDO PÓVOAS:

“Agora não é hora de mudança. Tucanos levaram duas surras homéricas de um analfabeto que só tem nove dedos, imaginem da Dilma, que tem dez! Vou rir pra caramba!”

Dilminha, a guerrilheira
Por EDUARDO PÓVOAS

Tenho lido e recebido via e-mail todo santo dia, gozação sobre a postura e a fala da candidata “guerrilheira” Dilma. Voltei ao tempo, e comecei a me lembrar da saraivada de “balas” que o grande molusco levava nas suas campanhas passadas. Essas mesmas saraivadas, a “tchurma” letrada e doutorada que governou este país por oito infindáveis anos, reserva hoje para a “guerrilheira” Dilma.

O povo não pensou desta maneira. O povo resolveu tapar os olhos e os ouvidos para os comentários feitos pelos “doutores” da Sorbonne ou das melhores Universidades dos Estados Unidos que se intitulavam (e até hoje se intitulam) os “salvadores da pátria” transformando-os em “pérolas ao vento”.

Parece que tudo que há de bom neste país foi construído por essa casta de prepotentes que se julgam os donos da verdade e morada da inteligência. Continuam até hoje com uma venta nos olhos e com um tampão nos ouvidos, fazendo absoluta questão de não ver e muito menos ouvir como vive atualmente o povo brasileiro.

Nada, absolutamente nada se cria por aqui. Tudo de bom foi copiado das idéias tiradas das cabeças “privilegiadas” da nação (estas só existem por lá). Se nosso povo hoje está melhor, se há melhor distribuição de renda, se há mais comida na mesa dos brasileiros, o mérito é da turma do passado, pois só ao lado deles gravitam inteligências capazes de produzir tais resultados.

O grande molusco era o cangaceiro metalúrgico desgarrado do sertão nordestino que se propunha a afundar o pais, pois não tinha experiência, e seu grau de instrução deixava a desejar. Virou “pop star” internacional, causando ciúme e inveja a muitos doutores que fizeram das tripas coração para chegar lá.

Só eles possuíam em suas fileiras o melhor Ministro da Saúde do planeta. Ninguém mais poderia comandar com tamanha segurança e habilidade essa pasta, pois lhe faltava inteligência e preparo. Tudo que lemos na grande imprensa é mentirinha. Esse barbudo inventa essa “besteira” de que o pais está melhor.

Nos debates, o grande molusco levava “bordoada” de todos os lados. Tentavam lhe imputar o cetro da incompetência e do despreparo para o cargo.

Confesso-lhes que até eu, em determinado momento passei a duvidar se esse metalúrgico de nove dedos teria condições de ser Presidente da República.

No primeiro mandato não votei nele. Claro, na turma de “doutores” muito menos!

No segundo, tapei meu nariz, virei à cara de lado e “enfiei” o dedo na urna no momento que apareceu um homem barbudo. Se arrependi? Claro que não! Vou fazer de novo esse ritual no dia três de outubro. Só que desta vez não precisarei tapar meu nariz e muito menos virar a cara de lado, pois tenho certeza de que hoje vivo em um pais melhor.

Foto ao lado de metralhadora que vem circulando na internet, não me mete medo. Não deve meter medo também a você que come melhor hoje, que hoje tem sua casa, que vive com um dinheirinho por mês, e que esses doutores pós-graduados nunca tiveram a sensibilidade de assim agir, pois denominavam, eu disse denominavam (no passado) isso de paternalismo, hoje classificado por eles de “necessário”. Legal né?

Lá como cá, haverá de ter continuidade. Lá como cá, nossos candidatos estão tais qual um excepcional goleador, na hora certa e no lugar certo.

Agora não é hora de mudança. Levaram duas surras homéricas de um analfabeto (como eles classificam o super molusco) que só tem nove dedos, imaginem de quem tem dez! Vou rir pra caramba!

*EDUARDO PÓVOAS, cirurgião dentista, é cuiabano

povoas@terra.com.br

Pescado da Página do E

Os Jovens e o Desemprego

*por FERNANDO RIZZOLO

Blog do Rizzolo –

Um dos maiores problemas circunstanciais de qualquer crise financeira é a falta de perspectiva geral no que diz respeito à oportunidade de emprego. Essa situação agrava-se em demasia quando determinada faixa populacional é mais diretamente atingida, como os jovens. É de se analisar que as políticas de empregabilidade nos países ricos sempre estiveram nas pautas sociais, e houve, no decorrer da história, um elenco de lutas nesse sentido.

 Contudo, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), composta de economias de alta renda, com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) – ou seja, elencada por países desenvolvidos –, alerta para o agravamento do desemprego juvenil. Num documento recém-divulgado, a OCDE constata que, se os jovens já eram vulneráveis antes da crise e foram suas primeiras vítimas, o futuro não vislumbra nada de bom, uma vez que, de acordo com a Organização, a situação continuará a deteriorar-se por vários anos.

 No estudo, observa-se que quatro milhões de jovens engrossaram as fileiras do desemprego durante a crise, elevando este índice para 18,8% em 2009, mais do dobro da taxa média de 8,6% para o conjunto da população. Enquanto o desemprego geral aumentou 2,5 pontos percentuais, o juvenil agravou-se 5,9 pontos.

É sobre esses dados que podemos fazer uma reflexão crítica sobre os efeitos das crises financeiras nos países ricos, onde a participação do Estado como regulador desse segmento foi quase nula ou omissa. No caso de países em desenvolvimento como o Brasil, onde houve uma política mais realista e mais intervencionista do ponto de vista regulador do Estado, a crise e o desemprego em geral, em especial no tocante aos jovens, não foram tão significativos.

 De qualquer modo, o grande desafio tanto dos países ricos quanto daqueles em desenvolvimento é traçar políticas claras e específicas para a criação de novos empregos, com vistas à população jovem, criando possibilidades e incentivos no encaminhamento das políticas de formação de mão de obra, na geração do primeiro emprego, na educação de base e, acima de tudo, na preservação da dignidade e esperança do jovem de se sentir integrado no mercado de trabalho. Sem isso, com certeza lançaremos os jovens do nosso país ao ostracismo da desilusão, ao abraço perdido do narcotráfico e ao desalento patriótico da desesperança e engrossaremos o universo da já profetizada “geração perdida”.

Fernando Rizzolo é Advogado e editor do Blog do Rizzolo

Serra, sabe o que é sujo e sujeira?

Sujo é o Rio Tietê que seu governo deixou de limpar por três anos
E levou sujeira para a toda suja cidade de São Paulo
Deve ser suja, a sociedade da sua filha com a filha do Daniel Dantas
Suja foi a compra superfaturada de ambulâncias no seu governo
Sujeira foi vender a Vale do Rio Doce por preço de banana
Suja ficou a roupa dos professores que você mandou agredir
Fazer contrato com a revista mais suja do país e depois distribuir de graça
A falta de anestésicos nas maternidades é uma grande sujeira

Sujeira é fechar comportas do rio para não alagar bairros nobres
E provocar inundações e um mar de sujeira na periferia
Dizer que são os nordestinos que sujam os rios
Sujeira é deixar a Globo usar de graça um terreno público do estado
Só da sua mente suja é capaz de tirar que inventou os genéricos
É arrumar um vice que só fala coisa suja e ainda do partido mais sujo do país
Sujeira é achar que filho de pobre pode estudar sem o ProUni
Maior sujeira é o que você fez com a classe trabalhadora em 1988
Sujo é ser ex-presidente da UNE e mandar jogar bombas nos estudantes da USP
Ser sujo é quem ignora pessoas mais humildes
Sujo é o DEM seu aliado da sua coligação

* Celso Jardim

1° Comitê Oficial da Campanha da Dilma na Europa‏‏

Preliminares:
A Igreja Apostólica Internacional NOITES DE GLORIA, cedeu o local para o evento da Abertura do 1° Comitê Oficial da Campanha da Dilma na Europa‏, que será realizado no dia 11 de Setembro de 2010, na sede da mesma.
O motivo do Encontro:
O propósito do Encontro é dar apoio político à candidata da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, promovendo a informação sobre as notícias e acontecimentos envolvendo o PT e a política brasileira.
O evento servirá como ponto de encontro da militância petista e dos partidos aliados, que poderão usar o espaço para pegar material de divulgação da candidata Dilma e se reunir com o objetivo de discutir os rumos da campanha na Europa.
O evento contará com a presença de Andrea Schilz (Editora do Blog da Dilma e também do Blog PT Colônia), Júlia Mattei (Fundadora do PT Colônia e Editora do Blog do PT Colônia), Apóstolo Fernando e sua esposa Bispa Tânia (Igreja Noites de Glória), Apóstolo Paulo Alexandre e sua esposa Bispa Glaúcia (Ministério Apostólico Reinando em Vida).
Público Alvo:
Petistas, simpatizantes, amigos do PT e brasileiros que apóiam a candidata Dilma Rousseff à Presidência da República do Brasil.
Suporte:
Para participantes que queiram vir de áreas distantes de Dortmund colocamos à disposição informações úteis como: pensões baratas em Dortmund, bilhetes coletivos de trem com muito bom desconto, linhas de metro e trens de superfícies etc.
Sábado, 11 Setembro de 2010
Local: Sede da Igreja Noites de Glória Aldinghoferstr 2a
44263 Dortmund Hörde
Alemanha
  • 13:00hs Feijoada Beneficente (opcional).
  • 14:00hs ABERTURA – VÍDEOS
  • 14:30hs A POLÍTICA E A IGREJA DEVEM ANDAR JUNTOS
  • 15:00hs DILMA ROUSSEFF
  • 15:30hs A REVOLTA ESTUDANTIL E O FIM DOS ANOS DOURADOS
  • 16:00hs BRASILEIROS NO EXTERIOR
  • 16:30hs PT COLÔNIA
  • 17:00hs PT BERLIM
  • 17:30hs PT NA EUROPA18:00hs Encerramento.

Em quem o Serra votaria se o Lula fosse candidato?

Serra e Lula

José Serra recorreu ao “desespero”

Serra abriu seu programa no horário gratuito veiculado na noite do dia 19/08 com imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob a voz de um locutor: “Serra e Lula, dois homens de história. Dois líderes experientes”, enquanto era exibida imagens de Serra e Lula, ambos se cumprimentando.

Serra ao invés de falar mais sobre suas campanhas e deixar o lado pessoal de lado, parte para o apelo e crítica Dilma Rousseff: “Serra. A vivência que a Dilma não tem”.

O PT anunciou que irá entrar com uma representação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra o PSDB pela utilização de imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no programa do candidato ao Planalto José Serra (PSDB).

MAIS UM PULA FORA DE APOIAR O SERRA: Aidan apoia vice de Dilma

Mark Ribeiro
Do Diário do Grande ABC
A presença de Michel Temer (PMDB) ontem em Santo André causou reviravolta no posicionamento do prefeito Aidan Ravin (PTB) na escolha de seu candidato à Presidência. Concorrendo a vice na chapa encabeçada por Dilma Rousseff (PT), o peemedebista convenceu o chefe do Executivo a apoiá-lo na corrida. Aidan muda de posicionamento 16 dias após declarar apoio a José Serra (PSDB), em queda livre nas pesquisas.

A agenda do presidente da Câmara na cidade contemplou visita ao prefeito no Paço e almoço em restaurante de Santo André. Na segunda atividade, Temer e Aidan tiveram a companhia do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB – que apoia Dilma) e do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), coordenador das candidaturas majoritárias do partido na região.

Indagado se trabalharia para a eleição de Dilma ou de Serra, Aidan reuniu Temer, Marinho e Arnaldo e posou para fotos. “Ainda bem que vocês são inteligentes e eu não preciso ficar gastando o português. Olha aqui o abraço. Estamos juntos”, ressaltou, sem citar o nome de Dilma – a legislação eleitoral não permite o voto para presidente e vice de chapas distintas.

“A amizade que tenho pelo Michel é muito mais forte do que um apoio. Ele é amigo em que posso contar em todas as horas”, justificou Aidan, cujo posicionamento vai na contramão do direcionamento dado pelas executivas nacional e estadual do PTB, que apoiam Serra.

“Sou prefeito e tenho que pensar maior que o partido. Se pensar só como partido não consigo fazer a governança”, analisou.

O petebista revelou que se encontrará com o presidente estadual da legenda, Campos Machado, na segunda-feira para explicar o novo rumo. “Estamos formando composição grande, com o Arnaldo e com o Frank (Aguiar, vice-prefeito de São Bernardo). Tenho que avançar pela amizade que tenho com o Michel. Não posso avançar de forma diferente”, destacou, ao citar dois correligionários que apoiam Dilma.

Para não causar mal-estar com o seu partido Aidan evitou tocar no nome da petista. Nem precisou. Questionado se seria automático o apoio do amigo a Dilma, Temer foi reticente, mas conclusivo. “Ele disse que apoiará a minha candidatura como vice-presidente, portanto…”, disse, com largo sorriso no rosto, indicando para a naturalidade do tema.

Martelo batido – Após o almoço, Marinho não conteve a satisfação pela articulação bem-sucedida em ter Aidan com Dilma. “Vamos caminhar juntos”, confirmou o prefeito de São Bernardo.

O novo posicionamento agradou também ao secretário municipal de Finanças e de Gabinete, Nilson Bonome. O homem-forte do governo Aidan já havia declarado sua preferência pela candidata petista. “Me agrada mais”, reiterou.

Foco para o governo do Estado segue sendo eleição tucana
A mudança de postura do prefeito Aidan Ravin com relação à corrida presidencial não foi acompanhada na esfera estadual. Segundo o petebista, seu apoio ao ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) é irrestrito.

“Estarei com Alckmin sempre. Não muda nada”, afirmou o chefe do Executivo. Aidan de fato vestiu a camisa pela candidatura do tucano ao Palácio dos Bandeirantes. O prefeito acompanhou as últimas aparições do tucano no Grande ABC. Na última delas, sábado, em Diadema, o petebista formou cordão de isolamento durante caminhada no Centro.

O prefeito descartou temer represálias por não seguir linha de apoio aos candidatos à Presidência e ao governo do Estado. “Tenho que pensar no melhor para a cidade”, disse, novamente justificando o posicionamento pró Michel Temer para governar o País e Geraldo Alckmin em São Paulo.

Para reforçar apoio ao tucano no Estado, Aidan estará hoje na inauguração do comitê regional do PSDB em Santo André. Ele e os prefeitos de São Caetano, José Auricchio Júnior (PTB), e de Rio Grande da Serra, Adler Kiko Teixeira (PSDB), são os coordenadores políticos da campanha de Alckmin na região.

Dilma chega a 45%

CUIDADO COM FALSOS E-MAIL

Amigos leitores, blogueiros.
Muito cuidado com falsos e-mails que estão circulando na rede. A intenção desses falsos e-mails é comprometer-nos, blogueiros que não somos anônimos, com falsas denúncias. Nós temos como mostrar com verdades, com fatos, por que o candidato Serra é o pior para o Brasil. Podemos mostrar que o candidato Serra é incompetente. Serra piorou muito a educação em SP, a saúde e a segurança. A violência aumentou muito em SP no governo Serra, como mostram matérias de vários veículos de comunicação. Serra é centralizador, é truculento, exige que os donos da mídia demitam jornalistas se as perguntas não lhe agradam. Serra é discípulo de FHC, grande entusiasta das privatizações – segundo FHC, ele foi o responsável pela privatização da Vale (há vídeo da entrevista em que FHC faz esse relato). Serra mente, mentiu na eleição de 2004 quando disse que não deixaria a prefeitura de SP para se candidatar em 2006. Mas o e-mail que está circulando na rede, dizendo que Serra foi se exilar no Chile, na época da ditadura, por ter jogado uma granada em uma ambulância matando o médico e a paciente, é uma grande mentira. Não houve essa ocorrência nos anos de chumbo, e não foi por esse motivo que o Serra foi se exilar no Chile. Serra, assim como Dilma, era contra o regime militar, contra a ditadura; para não ser preso e torturado, como foi a ministra Dilma, Serra se exilou no Chile. Nem o Serra e nem a ministra Dilma cometeram assassinatos. Cuidado blogueiros, para não publicarem calúnias contra o Serra: é isso que eles querem para poder nos processar e nos calar.
Jussara Seixas

Mentiras não se sustentam

Mair Pena Neto – Jornalista carioca. Trabalhou em O Globo, Jornal do Brasil, Agência Estado e Agência Reuters. No JB foi editor de política e repórter especial de economia.

Com a sucessão de pesquisas que apontam uma vitória de Dilma Rousseff no primeiro turno – Datafolha, 8 pontos de vantagem; Ibope, 11 pontos e Vox Populi, 16 pontos – ficou evidente a diferença de substância entre as duas campanhas. Dilma não precisaria fazer muito, além de se apresentar como a candidata de Lula e da continuidade. E o fez. Mas José Serra se mostrou perdido num perfil de não oposicionista, que deixou sua candidatura sem sentido.
Se não é candidato para mudar o que Lula está fazendo, por que se lançou? Serra fez até agora uma campanha esquizofrênica, que não fala mal do atual governo, mas também não se legitima para sucedê-lo já que Lula indicou Dilma para isso, e ela se credenciou pelos papéis relevantes que exerceu no governo.
Pior do que uma candidatura indefinida, Serra fez sua campanha baseada na mentira, que foi coroada com o slogan de sua propaganda eleitoral, pregando que “depois do Silva entra o Zé”. Ora, quem é Zé? Alguém conhece alguém que chame José Serra assim? O tucano parece uma figura popular que se permita ser tratado de forma tão simples? Os jornais passarão a chamá-lo dessa maneira nas notícias sobre ele?
Claro que não. Zé é um apelido falso, caricato, que não corresponde ao personagem que pretende representar. É como o Geraldo, forma com que tentaram tratar o Alckmin na campanha presidencial de 2006, na mesma tarefa marqueteira frustrada de popularizar o que não é popular.
O atual candidato tucano sempre foi conhecido como Serra. Transfigurá-lo em Zé é uma idéia ridícula de aproximá-lo de alguma maneira à figura de Lula, esse sim, sempre tratado dessa maneira, com tal informalidade, pelo povo e pela mídia. Lula é uma figura do povo. Serra não é. A pior coisa para um político e para qualquer pessoa é tentar se passar pelo que não é.
Seria mais honesto da parte de Serra se apresentar à população como realmente é. O tucano é incapaz de dizer o que pensa. Não faz uma referência ao governo Fernando Henrique Cardoso, do qual participou do mais alto escalão, com papel relevante nas mais cruciais decisões. O próprio FHC contou em entrevista à Veja que muita gente chama Serra de estatista, mas ele foi um dos que mais se empenhou pela privatização da Vale e da Light. Serra aparece em foto da privatização da Escelsa segurando com satisfação o martelo que selou a venda da companhia elétrica, e quando foi governador de São Paulo, vendeu a Nossa Caixa, que só escapou de mãos privadas pela ação do presidente Lula que fez o Banco do Brasil comprar a instituição financeira paulista.
Então por que Serra não defende Fernando Henrique, as privatizações, e fala abertamente que poderia considerar a venda futura de outras empresas públicas? O que difere a Vale, uma mineradora que explora recursos naturais do país, da Petrobras, que faz o mesmo? Mas Serra não fala nada. Sua campanha é falsa do início ao fim. O tucano se apropria de realizações que não são suas, como os genéricos e o seguro desemprego. Até a favela que aparece em sua propaganda eleitoral é cenográfica.
O caminho fictício trilhado por Serra teve uma razão de ser. Evitar a realidade que mostra o país crescendo com distribuição de renda. Os empregos formais batendo recordes sucessivos. O consumo em ascensão e a indústria voltando aos patamares pré-crise. O país está satisfeito com o seu momento e não pretende voltar atrás. O povo brasileiro já vinha dizendo isso em todas as pesquisas de avaliação do governo Lula, o que confirma agora com a vantagem que confere à Dilma. O Brasil não quer a volta dos tucanos, mesmo que disfarçados de aves mais simples.
Fonte:

Ibope – Só fato novo muda curso da eleição presidencial

 

Carmen Munari, da Reuters
A 45 dias das eleições presidenciais, apenas um fato novo, fora de controle, poderá mudar o rumo da campanha. Sem esta virada, a tendência é que a candidata do PT, Dilma Rousseff, saia vitoriosa no primeiro turno, em 3 de outubro, como apontam pesquisas recentes de intenção de voto. A avaliação é da diretora-executiva do Ibope, Marcia Cavallari.

No levantamento do instituto divulgado há três dias, Dilma tem 11 pontos percentuais de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra (PSDB), e, computados apenas os votos válidos “excluídos brancos, nulos e indecisos”, ela venceria com 51%, enquanto Serra contaria com 38% neste cálculo.

“Se nada acontecer, e avaliando as tendências até o momento, as chances dela ganhar no primeiro turno são muito grandes”, disse Marcia. “Não exime que na reta final da campanha aconteça algum fato que possa trazer um impacto grande nas campanhas”, avalia. “A gente está entrando numa fase da campanha que é a fase onde nenhum dos candidatos pode ser pego de surpresa.”

Na hipótese de a “surpresa” se resumir a uma acusação de Serra contra Dilma ou contra o petismo, é preciso que venha bem fundamentada, caso contrário dificilmente terá o efeito desejado.

Segundo a executiva do Ibope, o eleitor precisa ter certeza que a denúncia é verdadeira, fundamentada e com provas. “Se ficar só no discurso, o eleitor já tem este filtro de falar que isso faz parte do jogo, de um ficar atacando o outro. A gente vê ao longo das campanhas que o eleitor não gosta.”

Outros ingredientes podem afetar a intenção de voto do eleitor. O horário eleitoral gratuito no rádio e na TV, as inserções na mídia, que tiveram início esta semana, e os debates terão impacto na campanha.

Com esses programas, o eleitor vai começar a comparar os candidatos de uma forma mais direta porque vai receber informações de todos ao mesmo tempo. Podem favorecer ou desmerecer os concorrentes.

Para procurar reverter o cenário, diz a executiva do Ibope, Serra poderia potencializar seu grau de experiência e sua trajetória política e reforçar que tem condições de exercer a continuidade das políticas públicas que são bem avaliadas pela população, mesmo sendo de oposição.

Serra já tem um terço dos votos daqueles que consideram o governo Lula como bom e 19% daqueles que veem a gestão federal como ótima, segundo dados do Ibope. A aprovação ao governo Lula chega a 78%.

DILMA, LULA, MERCADANTE HOJE EM OSASCO

Comício com Dilma Rousseff (PT), o presidente Lula, Aloizio Mercadante (PT), Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB).

Sexta-feira, dia 20, às 19h
Esquina da Avenida Brasil com a Avenida Cruzeiro do Sul, Jardim Rochdale, Osasco
Transmissão ao vivo, pela TVPT

Cloaca News interpelará José Serra judicialmente

Cloaca News

“Ao discursar nesta quinta-feira, 19, no 8º Congresso Brasileiro de Jornais, o candidato do PSDB à presidência da república, Zé Chirico, afirmou que o governo federal financia “blogs sujos”, recusando-se, no entanto, a declinar os nomes dos beneficiários (leia a notícia clicando aqui).

Para que a verdade prevaleça sobre a detração e a maledicência, este humilde cafofo cibernético – que é “sujo”, porém limpinho – representará na Justiça contra o indigitado político tucano para que este nomine as sujidades, revele o valor dos estipêndios e apresente os recibos dos pagamentos feitos pelo Tesouro público.
Nossa douta banca de jurisconsultos já está a postos.”

SERRA SEM RUMO:Vaivém faz campanha parecer sem rumo

Enquanto sobe tom dos ataques a Dilma e ao governo, Serra força vinculação de sua trajetória com a de Lula
TUCANO, QUE USA COMO MANTRA O FATO DE TER “UMA CARA SÓ”, MOSTRA LULA NA TV NO DIA EM ACUSA GESTÃO DE CERCEAR MÍDIA

VERA MAGALHÃES
EDITORA DE PODER

“A pior coisa é querer ser o que você não é. Tenho que ser como sou. Prefiro ter uma cara só.” A frase foi dita pelo então pré-candidato à Presidência, José Serra, em entrevista à Folha em abril. Com variações, esteve presente no discurso de lançamento do candidato e tem sido repetida ao longo da campanha.
Pois o que se viu desde a estreia da propaganda eleitoral no rádio e na TV foi um Serra que ora soa oposicionista, ora quer ter sua trajetória associada à de Lula.
Em apenas dois dias, a propaganda tucana mudou da água para o vinho. Depois de uma estreia em que Serra se fixou só na experiência no Ministério da Saúde e praticamente escondeu o resto de sua trajetória política e administrativa, o programa do rádio ontem tratou de reforçar outros pontos de sua biografia e partiu para a desconstrução do propalado protagonismo de Dilma Rousseff no governo Lula.
Paralelamente à propaganda, Serra subiu em muitos decibéis o tom dos ataques à adversária e ao governo que a apoia, tanto no debate Folha/UOL quanto em participação no congresso da ANJ, ontem, quando acusou o governo de tentar cercear a liberdade de imprensa e financiar “blogs sujos”.
Tudo levava a crer que Serra reforçaria, a partir de agora, seu papel de candidato de oposição, ainda que não atacando diretamente Lula.
Qual não é a surpresa, então, quando o programa do PSDB, à noite, abre com imagens de encontros cordiais entre o tucano e o presidente, associando suas trajetórias. “Serra e Lula. Dois homens de história. Dois líderes experientes”, diz a peça.
A guinada abrupta -logo no segundo dia do horário eleitoral- surpreendeu aliados, entre atônitos e constrangidos. Muitos se furtaram a comentar. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, antes apenas escondido, e agora relegado pelo candidato de seu partido, já manifestou sua contrariedade a correligionários.
Antes mesmo do início da propaganda já havia na campanha de Serra a ideia de tentar mostrar que ele tem origem humilde, mais próxima à de Lula que a de Dilma, nascida em uma família rica em Belo Horizonte.
Mas o fato é que tal estratégia soa a desespero, uma vez que o próprio Lula tem reiterado quem é sua candidata e aparece até em “primeira pessoa” num jingle, dizendo que “entrega” “seu povo” a Dilma, numa mostra de que não haverá limites ao uso do messianismo e do paternalismo para tentar elegê-la.
É difícil entender o que a campanha do PSDB espera conseguir tentando uma forçada ligação entre o “Zé” e o “Lula da Silva”. Ainda mais quando essa colagem vem acompanhada de críticas da gravidade das feitas pelo candidato nos últimos dias.

Serra agora gruda em Lula na TV, e PT recorre ao TSE

Se recurso for aceito, coligação serrista perderá tempo no horário gratuito

Iniciativa do marketing tucano veio casada com ataques a Dilma para tentar conter a queda de Serra nas pesquisas

DE SÃO PAULO

No horário nobre do programa eleitoral gratuito na TV, ontem à noite, a campanha de José Serra (PSDB) repetiu o que já fizera a sua adversária Dilma Rousseff: grudou o tucano no presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“Serra e Lula, dois homens de história. Dois líderes experientes”, disse o locutor logo na abertura da propaganda, enquanto eram mostradas três cenas dos dois juntos -numa, o tucano afaga o ombro do petista; noutra, eles cochicham.
Aproximar Serra de Lula de forma tão escancarada e logo no início da propaganda eleitoral contrariou a ala do PSDB que defende uma oposição mais contundente.
O PT anunciou que entrará com representação no Tribunal Superior Eleitoral contra a coligação de Serra pela utilização de imagens de Lula.
O pedido terá como base o artigo 54 da Lei eleitoral (9.504), que permite a participação, nos programas de rádio e televisão gratuitos, de “qualquer cidadão não filiado a outra agremiação partidária ou a partido integrante de outra coligação”.
Caso seja aceita, poderá acarretar perda de tempo na TV da coligação serrista.
A iniciativa do marketing tucano veio casada com ataques a Dilma, no rádio e, em menor intensidade, na TV, numa estratégia para tentar conter perda de votos e apatia entre os aliados.
Na avaliação de integrantes da cúpula tucana, para garantir um segundo turno, Serra terá que investir na ideia de que Dilma não tem experiência e depende somente do prestígio de Lula.
No programa de TV, após a descrição de ações do tucano na carreira, o locutor afirmou: “Serra, a vivência que a Dilma não tem”.

TIRA A MÃO
Os programas de rádio foram mais críticos à adversária. Incluíram jingle que aponta Dilma como usurpadora das realizações de Lula.
“Tira a mão do trabalho do Lula/ tá pegando mal/ que o Brasil tá olhando/ Tudo o que o Lula criou/ ela diz:/ fui eu, fui eu/ Tudo o que é coisa do Lula/ a Dilma diz:/ é meu, é meu”, afirma um trecho.
A investida busca aplacar o desânimo de parcela do tucanato com a possibilidade de derrota. E acontece num momento em que, oito pontos atrás de Dilma, Serra corre risco de perda de votos no próprio eleitorado.
A tentativa de desconstrução da imagem de Dilma vai ganhar corpo, gradualmente, na campanha. Pelo cronograma original, as peças seriam exibidas a partir de sábado. Mas, com crescimento da petista nas pesquisas, a estratégia foi antecipada.
Dilma também atacou Serra, sinalizando que a cada dia aumenta a animosidade entre os adversários. “Ao mesmo tempo em que o candidato tenta, muitas vezes de forma patética, ligar seu nome ao do presidente Lula, ele fez oposição o tempo todo. Tem dia que ele faz crítica, tem dia que ele quer ligar seu nome ao projeto do presidente Lula. O candidato Serra é assim”. (leia na pág. A12).
Ontem à noite, pelo Twitter, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, um dos coordenadores da campanha de Dilma, comentou via Twitter: “De dia o Serra esculhamba o governo, o PT e os petistas. De noite bota o Lula no seu programa. Na minha terra o nome disso é .. deixa pra lá”.
Mais cedo, em entrevista sobre o ataque no rádio, Dutra descartou um revide no horário eleitoral e disse que o PT não mudará “em nem um milímetro” a sua estratégia.
“Isso me lembra um jingle do [petista Marcelo] Déda em 2006: “Eita que eles estão aperreados”. Mas não vamos entrar em baixaria. É a lei da política: quem está atrás, bate.”

 (FABIO VICTOR, CATIA SEABRA E ANA FLOR)

Alguém pode imaginar uma pessoa que lembra uma biruta de aeroporto, dissimulado, mentiroso, destrambelhado como Serra venha ser presidente do Brasil? Não tem a mínima condição!

Assessor do PSDB fez pergunta a Serra em encontro on-line

DE SÃO PAULO

Uma das 12 perguntas selecionadas para o debate presidencial Folha/UOL é de autoria de um assessor técnico do PSDB. Kléber Maciel Lage, de 41 anos, trabalha há 24 anos na Câmara dos Deputados, nove deles na assessoria de orçamento do PSDB.
Economista, Lage afirma que é “um técnico” e que enviou a pergunta como “cidadão”. “A gravação foi no meu quarto, ninguém sabia.”
A questão perguntava o que José Serra (PSDB) faria para acabar com o “toma-lá dá-cá” de cargos. O tucano respondeu que a administração federal é palco de “troca-troca desavergonhado”.
As perguntas ficaram disponíveis na internet, e as equipes de campanha podiam manifestar restrições. Mas não tiveram objeções.
A Folha desconhecia a ligação de Lage com o PSDB.
Quem descobriu e denunciou essa safadeza em primeiro lugar, foi o Zé Augusto do blog  Os Amigos do Presidente Lula. Agora a Folha vem dizer que não sabia? Me engana que eu gosto!

Alô, alô Serra, Dantas e Gilmar. I Encontro de Blogueiros esgota lotação

: Acabo de conversar com o presidente do e responsável número 1 pelo sucesso do , Miro Borges.
O número de inscritos completou o espaço disponível no Sindicato dos Engenheiros: 380 lugares.
Ontem à noite, o Miro tinha outros 180 e-mails que não puderam ser atendidos.
O consolo é que o encontro será transmitido ao vivo online.
Inclusive pelo Conversa Afiada.
Por sugestão do Barão de Itararé, o II Encontro se realizará no estádio Beira-Rio, em homenagem ao Inter.
Estarão presentes neste sábado, entre outros blogueiros notáveis e combativos, Brizola Neto e Emir Sader.
Outro gaúcho de nobre estirpe, Luis Fernando Veríssimo, entrou para o conselho consultivo desta vitoriosa instituição.
Os trabalhos sábado se abrirão com a formalização de uma proposta de uma ADIN por Omissão no Supremo Tribunal Federal, contra o Congresso, que não regulamenta os artigos da Constituição, com artigos que tratam da comunicação.
O emérito professor Fábio Comparato é o responsável por esta iniciativa do Instituto Barão de Itararé.
Como se percebe, trata-se de um evento que pelo jeito ultrapassou os limites de uma Kombi de propriedade do ex-Supremo Presidente do Supremo, Gilmar Dantas (*).

Programa de TV Dilma 13 – 19/08 – Noite

Encontro de Blogueiros – Hospedagem

Segue informações da hospedagem:
O hotel é o Braston Augusta, ele fica na Rua Augusta n° 467 (na página do Barão de Itararé tem um mapa).
O check-in é a partir das 12hs do dia 20/08 (sexta-feira) e o check-out é até as 12hs do dia 22/08 (domingo). Se não for feito o check-out até as 12hs do dia 22, será cobrado mais uma diária (e essa diária será responsabilidade do participante).
As diárias incluem o café da manhã. Qualquer outra despesa que ocorrer (ligações ou consumo) também é de inteira responsabilidade do participante.
Para fazer o check-in basta apresentar o RG.
Qualquer dúvida podem me ligar no 11 3054-1829 ou 11 9189-7806.
Att,
Danielle Penha

Dilma: prefiro as críticas do que o silêncio da ditadura

: A candidata à presidência pela coligação Para o Brasil Seguir Mudando, Dilma Rousseff, participou hoje do 8º Congresso Brasileiro de Jornais, promovido pela Associação Nacional dos Jornais (ANJ), no Rio de Janeiro, e defendeu a liberdade de expressão no país. Ela também assinou o compromisso com a Declaração de Chapultepec, que é uma carta de princípios que defende “uma imprensa livre como uma condição fundamental para que as sociedades resolvam os seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam a sua liberdade”. “Eu tenho um conceito que é de vivência. E há outros de compromissos éticos e morais que se tem de ter com a democracia. Eu prefiro um milhão de vezes o som de vozes críticas, de críticas duras, que muitas vezes gostam de ferir, do que o silêncio dos calabouços da ditadura que teve nesse país”, disse aos jornalistas após discurso no Congresso.
Liberdade de expressão
Dilma argumentou que, ao lado das conquistas sociais e econômicas, um dos critérios para que um país seja considerado uma nação desenvolvida é ter democracia plena, com liberdade de imprensa e de expressão. Segundo ela, essa é uma diferença crucial entre o Brasil e outras economias em desenvolvimento. Ela lembrou dois pontos, dos dez que compõem da Declaração de Chapultepec. Numa delas, é ressaltada a importância da liberdade de imprensa. “Não há pessoas nem sociedades livres sem liberdade de expressão e de imprensa. O exercício dessa não é uma concessão das autoridades, é um direito inalienável do povo”, discursou.
Outro ponto citado pela candidata fala sobre o compromisso da imprensa com a verdade. “A credibilidade da imprensa está ligada ao compromisso com a verdade, à busca de precisão, imparcialidade e eqüidade e à clara diferenciação entre as mensagens jornalísticas e as comerciais. A conquista desses fins e a observância desses valores éticos e profissionais não devem ser impostos. São responsabilidades exclusivas dos jornalistas e dos meios de comunicação”, citou.
Sem medo dos movimentos sociais
Mais cedo no evento, o candidato José Serra criticou os movimentos sociais e as conferências nacionais realizadas pelo governo Lula. Serra disse que elas não representam a sociedade. Ao ser questionada sobre as declarações, Dilma lamentou e disse que o governo Lula “não tem medo de dialogar com os movimentos sociais e conviver com opiniões divergentes”.

Luzianne Lins: é hora de derrotar o coronel Tasso

Cristãos com Dilma na disputa presidencial

: Líderes evangélicos reforçaram o apoio à candidatura da coligação Para o Brasil Seguir Mudando e resumiram 13 motivos (leia aqui) para que os cristãos votem em Dilma Rousseff. A Igreja evangélica fundamenta este apoio não apenas nos programas sociais coordenados por Dilma, como o Luz para Todos e o Minha Casa, Minha vida, mas também no seu compromisso com o Brasil e sua determinação em lutar pelos menos favorecidos.
“Votar na Dilma é uma decisão acertada para que as coisas continuem melhorando. Afinal, mudar o jogo agora é arriscado. Time que vence não muda. Ela é competente e isso basta”, defende o deputado federal Manoel Ferreira (PR-RJ). “Dilma é uma lutadora. Ela é uma vencedora, uma mulher de fibra. Juntamente com o presidente Lula desenvolveu o projeto de um Brasil que está dando certo”, afirma o deputado federal Bispo Robson Rodovalho (PP-DF), fundador do ministério Sara Nossa Terra.
Os 13 motivos constam do informativo “Ao povo de Deus” (clique aqui para ler). Segundo os evangélicos, Dilma é uma mulher “madura, mãe, responsável e profundamente comprometida com nossa Nação.” E é ainda a garantia do futuro de prosperidade com foco no crescimento e no desenvolvimento do país, favorecendo os mais pobres. Os evangélicos também acreditam que a luta de Dilma contra a ditadura é prova de sua vocação democrática. “Dilma Rousseff, em sua luta por liberdade e justiça, no período da ditadura, sintetiza todas as virtudes da vocação democrática, e também as resistências morais e de caráter da mulher brasileira”, avaliou o presidente da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Jerônimo Alves.
Preservação da vida
O compromisso com a família, assumido em discurso na Igreja Assembleia de Deus, em Brasília, é outro argumento para o voto em Dilma. Na ocasião, a candidata manifestou sua preocupação com a “preservação da vida”. Na “Carta ao Povo de Deus” (leia aqui), a candidata afirma que a família sempre foi e será o esteio de uma sociedade saudável. “Quanto mais estruturada é a família, menos caos social teremos. É no desajuste familiar que vemos nascer o abandono infantil, gerando os chamados meninos de rua. É na violência doméstica que temos a semente dos adolescentes infratores, marcados pela dor vivenciada em seus próprios lares”, afirma a candidata.
A Igreja evangélica celebra ainda a regularização da ocupação das áreas públicas destinadas aos templos e organizações filantrópicas e entende que Dilma sabe do papel das igrejas no resgate social. “O Brasil avançou muito no governo Lula, mas é preciso consolidar o processo democrático e a justiça social. Dilma tem visto nossa preocupação em torno da família, da criança, do adolescente e do idoso”, diz o vice-presidente do PSC, pastor Everaldo Dias Pereira.
Rede social
Na carta aos cristãos, Dilma faz este reconhecimento ao afirmar que as igrejas são responsáveis por uma grande e invisível rede social. “Isto é louvável (…) Quero construir esse diálogo com as instituições que têm sido os grandes amortecedores do sofrimento humano. Entendo seu valor, sua luta e seu trabalho impulsionado pela missão do Evangelho.”
Três motivos amparam o voto dos cristãos em Dilma: a fé e a determinação, a legitimação de sua liderança e sua força interior. Segundo um dos 13 motivos, “os obstáculos e os golpes da vida nunca a fizeram esmorecer nem desistir, apenas criaram mais motivação e esperança para lutar. Dilma é uma vencedora em todos os momentos de sua vida. Nas boas e nas más situações. Nos instantes de glória ou de solidão e tristeza, ela encontrou forças para ir em frente e cumprir sua missão.”

DILMA e a CNBB

Somos socialistas, somos Dilma Presidente

O Blog da Dilma é um blog Socialista, que defende a liberdade plena do povo, com direito a terra, ao emprego, a escola e a universidade gratuita, de qualidade e para todos. Nenhum país que não acredita em seu povo, pode-se considerar uma Nação Justa e igualitária. Por isso, apoiamos Dilma Rousseff a presidência da República.

Viva Che Guavara!

Daniel Bezerra, em nome de todos os editores do Blog da Dilma.

Assista aos principais trechos de Dilma no debate do UOL (18 de agosto)



Em nome de Lucas Silva de Oliveira
Acessos

Peça seus adesivos
Para receber os adesivos "AGORA É DILMA", envie seu nome e endereço completo com cep e a quantidade de adesivos para blogdadilma13@gmail.com Continue depositando na conta do Blog da Dilma. BANCO DO BRASIL(001) AGÊNCIA 0675-0 - CONTA: 40547-7 em nome de Lucas Silva de Oliveira, Fale com o Daniel Bezerra -(Ligue 85-81629695-editor geral).
Youtube Video
Blog super acessado
Nosso e-mail

Escreva para o BLOG DA DILMA:
blogdadilma13@gmail.com

Calendário de Posts
agosto 2010
S T Q Q S S D
« jul    
  1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31  
Portal de Campanha
Em São Paulo


No Ceará












Na Bahia
No Rio Grande do Sul
No Rio de Janeiro
Blog Socialista


PIG


Quem está Online
0 Membros.
6 Visitantes.
Dilmista online

Militantes online